Dia do Farmacêutico 2021: Momento de celebração e despedida 268

A sessão solene comemorativa do Dia do Farmacêutico 2021 decorreu no passado sábado, dia 25 de setembro, no Museu Machado de Castro, em Coimbra. Num acontecimento com elevada carga emocional e afetiva, Ana Paula Martins, prestes a completar o seu segundo e último mandato como bastonária da Ordem dos Farmacêuticos (OF), referiu, em jeito de despedida, que «os farmacêuticos deram-me a maior honra e aprendizagem da minha vida e espero sinceramente ter estado à altura da exigência que foi representar uma profissão com muitos séculos de história, numa Ordem que comemora os seus 50 anos em 2022».

Fazendo o balanço destes quase seis anos no cargo, Ana Paula Martins pronunciou-se sobre o que foi feito e o que ficou por fazer. Partilhando que foi «uma viagem cheia de dificuldades», admitiu que «levo comigo o desgosto de não ter conseguido concretizar as Competências Farmacêuticas, uma falha fatal, mas que hoje e aqui tenho de reconhecer. Um dia também essa história será feita e só a mim me posso culpar pela falta de liderança forte no processo».

Neste que foi o seu último Dia do Farmacêutico em que, enquanto bastonária da OF, se dirigiu aos colegas de profissão, Ana Paula Martins, com a situação pandémica em pano de fundo, indicou que «o caminho me pareceu leve, comparado com o que os farmacêuticos que conheci fazem todos os dias». «Tenho pensado muitas vezes, como teria sido Portugal durante estes 547 dias que abalaram o mundo sem o cluster farmacêutico que temos. Como teria sido se as nossas farmácias comunitárias e hospitalares não dissessem “Presente!”, os nossos investigadores e académicos, a nossa indústria farmacêutica e dos dispositivos médicos, com particular destaque para a de base nacional, os nossos militares farmacêuticos, a nossa rede de laboratórios clínicos, a nossa distribuição farmacêutica? Como teria sido se os nossos jovens estudantes e estagiários não se tivessem mobilizado para servir as pessoas e servir o país?», desenvolveu.

«Hoje começa também para mim um novo tempo. Treinada que fui pelos melhores, sempre recordados com saudade – Carlos Costa da Silveira e Maria Odette Santos Ferreira –, sei que há um tempo para tudo. Agora, ontem já é passado, e é do futuro que temos de tratar. Parto feliz, de coração cheio para novas aventuras e novos desafios», rematou.

De seguida, numa mensagem em vídeo previamente gravada e transmitida na sessão solene comemorativa do Dia do Farmacêutico 2021, a ministra da Saúde, Marta Temido, evocou «os mais de 15 mil farmacêuticos que num período tão exigente assumiram um compromisso com a saúde de todos os cidadãos».

A iniciativa com a chancela da OF serviu para distinguir farmacêuticos, personalidades e instituições que têm colaborado na luta contra a pandemia de covid-19, a defender os superiores interesses dos cidadãos no acesso à saúde e a valorizar e prestigiar a profissão farmacêutica no seio da sociedade e do sistema de saúde.

Na ocasião, a OF atribuiu a sua Medalha de Honra ao Infarmed – Autoridade Nacional do Medicamento e Produtos de Saúde, como reconhecimento da missão que vem prosseguindo ao longo de 28 anos de existência, ao garantir a segurança dos cuidados de saúde prestados aos portugueses. «Esta medalha é muito mais do que um reconhecimento pelo passado. É, acima de tudo, um incentivo para o futuro. Para que todos no Infarmed, sem exceção, sintam que confiamos em vós e que jamais descansaremos na argumentação junto do poder político, da necessidade urgente de revalorizar o Infarmed», destacou Ana Paula Martins, que entregou a distinção ao presidente da entidade, o farmacêutico Rui Santos Ivo.

A OF atribuiu igualmente a sua Medalha de Honra a Adalberto Campos Fernandes, reconhecendo o «importante contributo» do ex-ministro da Saúde para «a concretização da Carreira Farmacêutica em 2017» e para «a valorização dos serviços farmacêuticos prestados na rede de farmácias comunitárias através de uma portaria de serviços moderna e arrojada», assim como a Carlos Maurício Barbosa, bastonário da OF entre 2009 e 2016, pelo «desenvolvimento de um trabalho determinante para o prestígio e a credibilidade da instituição e da profissão junto dos parceiros, dos decisores e da sociedade em geral».

A homenagem da OF à task force responsável pelo plano de vacinação contra a covid-19, encabeçada pelo vice-almirante Henrique Gouveia e Melo, foi outro dos momentos altos do evento. Paralelemente, a OF distinguiu os farmacêuticos que têm colaborado na operacionalização do plano de vacinação contra a covid-19 e a Associação Portuguesa de Estudantes de Farmácia pela mobilização dos estudantes de Ciências Farmacêuticas como voluntários para apoio à atividade das farmácias hospitalares, farmácias comunitárias e laboratórios de análises clínicas durante a pandemia, em especial na operacionalização da entrega de medicamentos em proximidade e na testagem contra o SARS-CoV-2.

Mantendo a tradição, a OF concedeu a medalha e o diploma aos farmacêuticos que completaram 50 anos de atividade profissional e o Prémio Sociedade Farmacêutica Lusitana aos jovens estudantes finalistas do Mestrado Integrado em Ciências Farmacêuticas que obtiveram as classificações mais elevadas durante o último ano letivo.

Pelo meio, Jorge Paiva, biólogo, botânico e investigador do Centro de Ecologia Funcional da Universidade de Coimbra, proferiu a conferência intitulada “Plantas, Mitos, Fabulações e Realidades”.

Este ano, coube à Secção Regional do Centro da OF organizar a sessão solene comemorativa do Dia do Farmacêutico.

Envie este conteúdo a outra pessoa