Juntos, vamos mais longe. Juntos, somos mais fortes 288

Desde há 2 anos que, à escala global, temos vindo a confrontar-nos e a tentar responder a uma pandemia. Uma crise inesperada, para a qual ninguém teve verdadeiramente tempo para se preparar. Crise que gerou problemas complexos, caracterizados pela incerteza e pela imprevisibilidade.

A pandemia por COVID-19, que ainda atravessamos, provocou alterações profundas no mundo e nas sociedades. Para além do óbvio impacto na saúde das populações, a pandemia destabilizou fortemente a economia, o trabalho e, muito também, as relações humanas e interpessoais. E teve impacto, também, nas profissões. Muito particularmente nas profissões da saúde, de entre as quais destaco naturalmente os farmacêuticos.

A profissão farmacêutica mudou. Não necessariamente, e só, por causa da pandemia. O borbulhar da mudança já se antevia, mas a crise sanitária veio expor ruturas e, também, a necessidade de mudança de forma muito explícita.

Durante esta crise, a importância e centralidade do farmacêutico no sistema de saúde tornou-se muito evidente e visível. Na urgência desta crise sanitária, os farmacêuticos foram chamados à linha da frente, e foram formalmente convocados a responder perante as adversidades, como parceiros e parte integrante do SNS. Como aliás deve ser! Não só em momentos de urgência sanitária, mas sempre.

E os farmacêuticos sabem que, a partir de agora, não há retrocessos nesta matéria, e que o caminho só poderá ser em frente.

E sendo certo que a adversidade é, muitas vezes, o fermento para alcançar a maturidade, importa agora dar início a um percurso de responsabilidade e responsabilização crescentes para o farmacêutico.

Candidato-me ao segundo mandato à frente dos destinos da Secção Regional do Centro da Ordem dos Farmacêuticos, precisamente porque quero empenhar toda a minha experiência profissional, capacidades e esforço neste percurso. Um percurso que assegure o farmacêutico como peça chave no sistema de saúde e à concretização de um novo modelo de profissão, um novo modelo de intervenção profissional, um novo paradigma para a profissão.

Levo comigo, nesta candidatura, um grupo de profissionais de excelência, uma equipa da qual me orgulho de fazer parte. Colegas oriundos das diversas áreas do exercício profissional farmacêutico, reconhecidos pela sua experiência e competência profissionais. E, mais importante ainda, extremamente motivada para dar o seu melhor em prol da profissão.

Como bem escreveu Clarice Lispector, “Quem caminha sozinho pode até chegar mais rápido, mas aquele que vai acompanhado, com certeza vai mais longe.” E, por isso mesmo, o lema da nossa campanha é Juntos Somos Mais Fortes! Todos Juntos. Os farmacêuticos de todas as áreas profissionais, os restantes profissionais de saúde, os doentes e a população que servimos.

O desafio e a responsabilidade que sentimos coloca-se acima de tudo perante os farmacêuticos, os doentes e a sociedade e, nesta medida, a nossa candidatura converge, no essencial, para três objetivos fundamentais: a qualificação dos farmacêuticos, a salvaguarda da saúde pública e dos interesses do cidadão e, por fim, a integração do farmacêutico em estruturas multidisciplinares de intervenção na área da saúde. As nossas propostas de acção convergem, no essencial, para estes grandes objetivos.

A par de todas as feridas que deixou expostas, esta pandemia deve ser vista, também, como oportunidade para repensar as cidades, as relações humanas e os modelos de convivência, o trabalho e o teletrabalho e, fundamentalmente, a prestação de cuidados assistenciais aos doentes e às populações. E nesta matéria, é ponto assente que o farmacêutico deve ver reconhecida a sua competência, responsabilidade e imprescindibilidade. Da parte dos doentes, quem verdadeiramente importa, esse reconhecimento sempre existiu. Mas percebemos que o fortalecimento da Classe carece também desse reconhecimento da parte do poder político e seus decisores.

Parafraseando Saramago, “não há nenhum caminho tranquilizador à nossa espera. Se o queremos, teremos de construí-lo com as nossas mãos.”.

É isso que queremos fazer! Contamos com a confiança de todos os colegas!

Anabela Mascarenhas
Candidata a Presidente da Secção Regional do Centro da Ordem dos Farmacêuticos – Lista C

Envie este conteúdo a outra pessoa