OncoDNA, o laboratório central do programa de investigação de cancro da mama metastático AURORA 0 71

OncoDNA, a companhia especializada em medicina de precisão para o diagnóstico e tratamento de cancro, está a ser o laboratório de triagem central para o programa de investigação de cancro da mama metastático AURORA. O programa AURORA é liderado pelo Breast International Group (BIG), uma organização internacional sem fins lucrativos para a pesquisa académica sobre o cancro da mama, sediada em Bruxelas, Bélgica.

Através do AURORA, os investigadores querem perceber melhor as características moleculares e a evolução do cancro da mama recorrente ou metastático. Por exemplo, quais as alterações genéticas que aparecem quando a doença progride? Como é que a doença evolui com o tempo? Por que é que alguns tumores respondem bem e outros pioram com o tratamento padrão? Como se instala a resistência? O objetivo do AURORA é, em última análise, identificar formas de tratar a doença de forma mais eficaz e contribuir para encontrar uma cura no futuro. O papel da OncoDNA é aplicar o sequenciamento de nova geração (NGS) e outras tecnologias para detetar alterações genómicas nas amostras biológicas fornecidas pelos doentes que participam no programa.

Uma das soluções usadas pela OncoDNA no AURORA é a “biópsia líquida”, análise genómica que utiliza amostras de sangue. Esta é uma técnica que pode desempenhar um papel importante na caracterização e monitorização do cancro da mama metastático no futuro. Segundo os investigadores responsáveis pelo AURORA, em alguns doentes a análise dos fragmentos de ADN tumoral presentes no sangue (ADN do tumor circulante) revela alterações genéticas que não puderam ser observadas na biópsia de tecido.

Iniciativa Europeia

Além da OncoDNA, 60 hospitais de 12 países europeus estão envolvidos no AURORA. O Prof. Philippe Aftimos, co-investigador principal do programa e Líder de Desenvolvimento de Ensaios Clínicos no Instituto Jules Bordet, em Bruxelas, Bélgica, apresentou recentemente os primeiros resultados do AURORA no Congresso de Cancro da Mama da ESMO.

O professor Aftimos falou sobre os primeiros 381 doentes incluídos no programa (dos 1000 doentes alvo a serem incluídos). A partir da análise de biópsias sólidas e líquidas, foi possível identificar alterações moleculares específicas presentes em excesso nas metástases. Essas alterações podem estar correlacionadas com a disseminação do cancro e o aumento da resistência aos tratamentos padrão. Os investigadores acreditam que, em quase 50% dos casos, as alterações genómicas identificadas poderiam fornecer aos oncologistas informações adicionais que poderiam ser úteis para os doentes. Por exemplo, os doentes poderiam ser considerados para a participação em ensaios clínicos de novas terapêuticas visando alterações moleculares específicas.

Jean-Pol Detiffe, CEO da OncoDNA afirmou:

“Estamos orgulhosos em participar neste programa internacional AURORA com as nossas soluções de perfis moleculares, pois isso permitirá que os investigadores acompanhem a evolução da doença e identifiquem quaisquer alterações nas células cancerígenas para encontrarem melhores opções de tratamento para os doentes”.

Para mais informação por favor visite: www.oncodna.com

Envie este conteúdo a outra pessoa