Novartis apresenta estratégia Ambiental, Social e Corporativa 126

A Novartis apresentou a sua estratégia Ambiental, Social e Corporativa, a ESG – Environmental, Social and Corporate Governance, baseada em quatro pilares estratégicos: Padrões Éticos, Preço e Acesso, Desafios Globais de Saúde e Cidadania Corporativa.

Estes pilares incluem a resposta aos desafios de acesso e de saúde global, assim como a sustentabilidade ambiental na indústria de saúde.

“A Novartis continua a dar grandes passos no sentido de aumentar o nosso compromisso em grandes desafios globais, como o acesso a medicamentos e as alterações climáticas. Ao definirmos metas que medem o que é mais importante para os stakeholders, estamos a integrar ainda mais o conceito ESG no centro das nossas atividades e a fortalecermos o nosso compromisso de comunicar os nossos progressos de uma forma transparente”, indicou Vas Narasimhan, CEO da Novartis, em comunicado divulgado.

Um dos objetivo da companhia é melhorar o acesso a medicamentos inovadores em países com baixos rendimentos. A empresa está empenhada em aumentar o acesso dos doentes a medicamentos inovadores, pelo menos em 200%, até 2025.

Pretende também melhorar o acesso dos doentes aos seus programas estratégicos de saúde global em áreas como a Lepra, a Malária, a Doença de Chagas e a Doença Falciforme em, pelo menos, 50% no mesmo período. A companhia prevê que o cumprimento destas metas permita chegar a mais de 23 milhões de doentes.

As metas de sustentabilidade foram também reforçadas, ao definir a neutralidade carbónica para toda a sua cadeia de fornecimento até 2030, além da meta já definida nas suas atividades até 2025.

Para além disso, a Novartis anunciou ainda a colaboração com a União Africana (55 Estados Membros que representam todos os países do continente Africano), a qual deu início à Africa Medical Supplies Platform (AMSP), iniciativa sem fins lucrativos, para ajudar no acesso ao portfólio da Novartis de resposta à pandemia da covid-19. Este portfólio de 15 medicamentos foi lançado em julho de 2020 e é disponibilizado pela Sandoz, divisão de medicamentos genéricos e biossimilares da Novartis.

Relativamente aos resultados deste ano, a Novartis revelou que chegou aos 376 mil doentes no primeiro semestre de 2020, que fez contribuições significativas no combate à pandemia de covid-19 e para apoiar a estabilidade global dos sistemas de saúde, e que disponibilizou 40 milhões de dólares para apoiar as comunidades afetadas pela pandemia em todo o mundo.

Neste momento tem mais de 15 medicamentos em investigação, em 35 estudos iniciados por investigadores em todo o mundo.

Envie este conteúdo a outra pessoa