Cinco fármacos detetados nos rios Ave e Sousa 0 35

Detetou-se a presença de cinco fármacos nas águas superficiais do rio Ave e Sousa, numa investigação que durou quase um ano.

Das 120 amostras analisadas, as substancias encontradas foram anti-inflamatório diclofenaco; o filtro ultravioleta EHMC, usado em cosméticos e na indústria; e os antibióticos eritromicina, claritromicina e o azitromicina. Em ambos os rios, a concentração mais elevada foi de EHMC: 3930 nanogramas por litro de água no Sousa e 7552 no Ave.

Cláudia Ribeiro, da Cooperativa de Ensino Superior, Politécnico e Universitário (CESPU) e uma das autoras deste trabalho referiu que «ainda não existem valores regulamentados para estes compostos, que estão sob vigilância. Por isso, ainda não existem padrões de qualidade ambiental, ou seja, valores mínimos admissíveis».

Ainda assim, a responsável afirmou ao jornal “Público” que «foi calculado o risco de toxicidade por exposição ambiental destes compostos a organismos aquáticos que demonstrou ser elevado para o EHMC, assim como risco de toxicidade médio para o diclofenaco [que teve 1330 nanogramas por litro de água] no rio Sousa».

Este estudo, que foi publicado na revista científica Science of the Total Environment, analisaram-se 17 contaminantes da lista de vigilância a monitorizar da diretiva 2013/39/UE sobre a política da água.

Esta directiva – acto legislativo que fixa um objetivo geral que todos os países da União Europeia devem alcançar – estabelece a necessidade de monitorização de poluentes, incluindo fármacos, para que se combata a poluição da água. E tem uma lista de substâncias a monitorizar. Entretanto, o diclofenaco foi retirado dessa lista na última revisão da directiva em Junho.

Cláudia Ribeiro indicou ainda que «infelizmente», em Portugal, «a maioria dos dados sobre ocorrência de fármacos no ambiente ainda é relativamente escassa», referindo ainda que «não temos tido financiamento externo para projectos nesta área e os trabalhos que temos feito [na CESPU] têm financiamento interno, ao contrário do que acontece noutros países e do que a directiva estabelece».

Envie este conteúdo a outra pessoa