ANF: “Vamos salvar muitas vidas e poupar muitos recursos ao País” 503

Na sequência do anúncio da vacinação gratuita contra a gripe nas farmácias, para maiores de 65 anos, o Netfarma procurou esclarecer como serão suportados os custos desta operação e que tipo de remuneração podem esperar as farmácias comunitárias.

Seguem as respostas do diretor da Associação Nacional das Farmácias (ANF), Duarte Santos:

“Os utentes maiores de 65 anos terão direito a vacinar-se gratuitamente numa farmácia da sua preferência, à semelhança do que acontece nos centros de saúde. Esta é uma ótima noticia para as pessoas e para o Serviço Nacional de Saúde. As Farmácias garantem acessibilidade, conveniência e contribuem determinantemente para o aumento da cobertura vacinal da população. O alargamento da vacinação SNS às Farmácias garantirá o aumento da capacidade do sistema, quer pelo alargamento muito significativo de locais de vacinação, quer pelo aumento de disponibilidade horária do serviços. As vacinas serão disponibilizadas pelo SNS. Dada a crise sanitária e económica que o país atravessa, as farmácias aceitaram prestar o serviço de administração ao preço de 2,5€, convencionado com o Estado. Consideramos que este é um importante contributo para garantir a vacinação de mais pessoas, tal como se impõe, particularmente este ano. Este valor não cobre os custos em materiais de proteção individual e de higienização, mas todos os profissionais e serviços de saúde devem atuar de forma solidária para vencer a covid-19.”

O responsável lamentou que “o Ministério da Saúde não tenha assumido o investimento associado à disponibilização deste serviço na totalidade. A prestação deste serviço pelas Farmácias é mesmo muito importante para as pessoas e tem benefícios óbvios e muito significativos para o Serviço Nacional de Saúde”.

No entanto, a estrutura associativa promete encontrar alternativas e soluções para esta questão, conforme afirma Duarte Santos:

“No terreno estamos a ativar parcerias com as Câmaras Municipais com o objetivo de podermos criar um movimento solidário de prevenção em saúde com o objetivo de proteger os mais vulneráveis, que tanto precisam de nós. É também com muita satisfação que constatamos o envolvimento da Associação Dignitude desde o primeiro momento. A resposta é local e determinada por motivação e decisão do Município”.

O Município comparticipará, em regime de complementaridade com a Dignitude, no âmbito da resposta “Emergência abem: covid-19”, 90% do preço da administração de vacinas contra a gripe a beneficiários do Programa “Vacinação SNS Local”, por farmácias comunitárias, até um valor máximo de 2,25€/ato.

O diretor da ANF destacou ainda a relevância do momento que vivemos e enalteceu o papel das farmácias comunitárias no combate à pandemia, destacando que “as Farmácias continuarão a dar o melhor de si na proteção da saúde das suas comunidades. Este programa será critico para garantir que quem mais precisa é vacinado. Graças ao envolvimento de todas as partes, vamos salvar muitas vidas e poupar muitos recursos ao País”.

 

Envie este conteúdo a outra pessoa