Vacina russa com 70% de eficácia contra variante Delta 82

A vacina russa contra a covid-19 de dose única, denominada por Sputnik Light, apresenta 70% de eficácia contra a variante Delta do coronavírus SARS-CoV-2 três meses após a inoculação.

Os dados foram anunciados pelo Centro Gamaleya de Epidemiologia e Microbiologia da Rússia, que desenvolveu esta versão da vacina Sputnik V de duas doses.

O Centro Gamaleya e o Fundo Russo de Investimento Direto (FRID), que comercializa as vacinas russas, garantiram que a eficácia da Sputnik Light “é superior em comparação com algumas vacinas de duas doses, que mostraram uma diminuição significativa da sua eficácia – até 50% – contra a variante Delta cinco meses depois da inoculação”.

As duas empresas garantem que a eficácia da Sputnik Light como reforço de outras vacinas contra a variante Delta é próxima à da Sputnik V de duas doses, demonstrando ser 83% eficiente a prevenir a infeção pelo coronavírus e mais de 94% a prevenir a hospitalização, de acordo com os dados obtidos em 28 mil pessoas que receberam a dose única quando comparadas com um grupo de controlo de 5,6 milhões de cidadãos que não foram vacinados contra a covid-19.

Os resultados mostram ainda que a Sputnik Light mostrou uma eficácia superior a 75% nas pessoas com menos de 60 anos.

Esta vacina de dose única foi autorizada até o momento em cerca de 15 países e será produzida em mais de dez países, como a China, a Índia, a Coreia do Sul, o México, a Argentina e a Turquia, entre outros. A Sputnik Light não está autorizada na União Europeia.

Envie este conteúdo a outra pessoa