OF quer farmacêuticos a fazer o acompanhamento de doentes crónicos 0 98

OF quer farmacêuticos a fazer o acompanhamento de doentes crónicos

28 de Setembro de 2015

O bastonário da Ordem dos Farmacêuticos, Carlos Maurício Barbosa, afirmou que os farmacêuticos deviam poder fazer o acompanhamento de doentes crónicos, aproveitando-se a rede de farmácias espalhadas pelo país.

 

«Há muito trabalho que pode ser feito na área da proximidade», disse à agência “Lusa” Carlos Maurício Barbosa, considerando que os farmacêuticos devem também contribuir «nos rastreios sistemáticos da população».

 

Segundo o bastonário, «os farmacêuticos podem e devem dar mais contributos para o Serviço Nacional de Saúde», que deve aproveitar «a capacidade instalada».

 

Carlos Maurício Barbosa sublinhou que se tem de aproveitar o facto de as farmácias estarem «espalhadas pelo território, até nos sítios mais recônditos», de forma a potenciar as capacidades técnico-científicas destes profissionais e «a proximidade e confiança» que estes têm «junto da população».

 

Os farmacêuticos «podem dar contributos substantivos para promover ganhos em saúde e ajudar a atingir metas na área da saúde pública», frisou, apontando para o caso dos doentes crónicos.

 

«Precisamos que os doentes estejam compensados e equilibrados e, entre consultas médicas, pode haver episódios agudos», podendo aqui os farmacêuticos ter um papel no controlo e acompanhamento de doentes, «como os hipertensos e os diabéticos».

 

Outro ponto importante, refere, é o contributo que os farmacêuticos podem ter «nos rastreios sistemáticos da população e identificação precoce de indivíduos com fatores de risco».

 

Estes dois aspetos – os rastreios e o acompanhamento – podem levar «a menos gastos» com complicações das doenças e «a ganhos em saúde», salientou o bastonário da Ordem, organização que comemorou no sábado, em Coimbra, o Dia do Farmacêutico.

 

Carlos Barbosa espera que, na próxima legislatura, «haja consideração» pelo contributo «ímpar» que o setor teve «na redução da despesa pública e privada».

 

No sábado, a Ordem comemorou o Dia do Farmacêutico, em Coimbra, com um simpósio na Faculdade de Farmácia da Universidade de Coimbra e uma sessão solene e jantar de encerramento das comemorações no Hotel Quinta das Lágrimas.

Envie este conteúdo a outra pessoa