Farmácias recordam carácter simbólico do protesto de 23 minutos 550

Após o comunicado divulgado pela Autoridade Nacional do Medicamento e Produtos de Saúde, I.P. (Infarmed), a Associação Nacional das Farmácias (ANF) e a Associação de Farmácias de Portugal (AFP), sob o mote “Salvar as Farmácias, cumprir o SNS” emitiram um esclarecimento a indicar que as farmácias sabem quais os seus deveres para com a população.

“O Infarmed, com a sua ameaça de hoje de sanções sobre as farmácias, mostra incompreensão pela natureza simbólica de uma paragem de 23 minutos. O sistema de prescrição electrónica já esta semana esteve parado mais tempo, por problemas inerentes aos servidores dos Serviços Partilhados do Ministério da Saúde. No passado, já esteve parado vários dias e nunca o Infarmed manifestou qualquer preocupação com isso. As farmácias sabem bem quais os seus deveres para com a população, que servem todos os dias, em todo o território”, explicam.

As farmácias sublinham ainda que “nunca adotaram nem vão adotar formas de protesto que ponham em causa o seu serviço aos portugueses. As farmácias garantem que a sua manifestação de 23 minutos não deixará um único português sem os seus medicamentos”.

Devido à importância do debate parlamentar de hoje sobre a Petição “Salvar as farmácias Cumprir o SNS”, as farmácias “convidam todos os cidadãos a assistir, às 15 horas, a um debate decisivo para a sua saúde”.

Envie este conteúdo a outra pessoa