Covid-19: Moderna anuncia eficácia de mais de 94% da vacina 249

A Moderna anunciou que segundo dados provisórios, a vacina que está a desenvolver contra a covid-19, tem uma eficácia de 94,5% na redução do risco de contrair a doença.

Estes dados significam que o risco de adoecer com covid-19 foi reduzido em 94,5% entre o grupo de voluntários vacinados e também entre aqueles que receberam o placebo.

A empresa indicou que na terceira fase do ensaio clínico foram identificados 95 casos de doença, sendo que desses apenas cinco tinham recebido a vacina e 90 pertenciam ao grupo que recebem o placebo. Só cerca de 9% a 10% das pessoas vacinadas manifestaram efeitos secundários após a segunda dose, como fadiga, rigidez ou vermelhidão no local da injeção.

Esta terceira fase do ensaio clínico, que arrancou nos Estados Unidos em julho, envolve mais de 30.000 participantes.

Com base nestes dados provisórios sobre a segurança e eficácia da vacina, a Moderna vai submeter nas próximas semanas um pedido de autorização de uso de emergência à Food and Drug Administration (FDA), a agência federal responsável pelo controlo e supervisão do setor alimentar e farmacêutico, e pretende também candidatar-se a autorizações de agências internacionais.

A Moderna espera ter, até ao final do ano, disponíveis para distribuição cerca de 20 milhões de doses da vacina mRNA-1273 e mantém o objetivo de produzir entre 500 milhões e mil milhões de doses em 2021.

Para além dos novos dados sobre a eficácia da vacina, a empresa revelou também que a sua candidata poderá ser armazenada à mesma temperatura dos congeladores domésticos ou médicos, a -20°C, por até seis meses”.

O comunicado divulgado indica ainda que as temperaturas podem subir para facilitar o armazenamento em pontos de administração para entre 2°C a 8°C, sendo que nestas condições de refrigeração espera-se que a vacina se mantenha estável durante até 30 dias dentro do prazo de validade de seis meses.

Envie este conteúdo a outra pessoa