Carlos Enes, ANF: As farmácias devem ser «indispensáveis para o SNS e independentes de contextos políticos e económicos adversos» 0 371

Carlos Enes, responsável do departamento de Comunicação da ANF, destaca o Programa MED180º como facto do ano de 2018 no setor, e espera que 2019 reforce o papel das farmácias para as pessoas e para o SNS.

Para Carlos Enes, o MED180º, programa de Segurança na Dispensa e Toma de Medicamentos representa a boa tradição de inovação tecnológica das farmácias e de melhoria do seu serviço por auto-iniciativa.

Em declarações exclusivas ao portal NETFARMA, o responsável de Comunicação reforça que o programa permite ainda às farmácias «manter uma relação permanente com as pessoas, com base nas suas reais necessidades em saúde», o que contribui, a seu ver, para a diferenciação das farmácias em relação às experiências de fidelização de clientes proporcionada pelas cadeias comerciais.

Segundo Carlos Enes, o programa facilita ainda o trabalho dos profissionais de saúde em geral: médicos, enfermeiros, especialmente os que têm idosos a cargo, bem como os profissionais de emergência. É uma vantagem que, na sua opinião, se estende aos cuidadores em geral, «desde os professores nas escolas aos responsáveis pelo internamento de idosos».

O MED180º «traz ganhos evidentes ao SNS, promovendo maior eficiência no uso dos medicamentos e faz a diferença para as pessoas, promovendo a sua segurança e autonomia», frisa o responsável do departamento de comunicação da ANF.

Em relação a 2019, um ano eleitoral «talhado a muita espuma, retórica e conflitualidade artificial», Carlos Enes mostra-se confiante de que as farmácias continuarão num percurso de inovação e melhoria do seu serviço» e espera que «no final do ano as farmácias sejam ainda mais importantes para as pessoas, indispensáveis para o SNS e independentes de contextos políticos e económicos adversos».

Envie este conteúdo a outra pessoa