Bruxelas apresenta Estratégia Farmacêutica para a Europa 436

A Comissão Europeia apresentou, esta quarta-feira, dia 25 de novembro, uma Estratégia Farmacêutica para a Europa, com o intuito de “enfrentar fraquezas de longa data na área dos medicamentos” e “garantir que os pacientes têm acesso a fármacos acessíveis”.

“A estratégia apresenta ações concretas para assegurar a acessibilidade e a disponibilidade de medicamentos. Apoia a diversificação das cadeias de fornecimento, assegurando a autonomia estratégica da Europa no mundo, e promove fármacos que são ambientalmente sustentáveis”, indica o comunicado divulgado.

Um dos objetivos desta Estratégia Farmacêutica para a Europa é tornar os medicamentos mais acessíveis em termos de preço, com o apoio da União Europeia (UE) na “cooperação entre as autoridades nacionais no preço, pagamento e políticas de aquisição” de medicamentos e uma “maior competição” na indústria farmacêutica.

Na nota divulgada, a presidente da Comissão Europeia, Ursula von der Leyen, indica que a pandemia de covid-19 “mostrou a necessidade vital de se fortalecerem os sistemas de saúde” europeus, o que inclui “o acesso a medicamentos seguros, eficazes e de alta qualidade, a um preço acessível”.

“Nos tempos difíceis que a UE está a atravessar, em termos económicos e sociais, a estratégia adotada irá assegurar que a Europa e os europeus continuam a beneficiar desse tipo de medicamentos”, disse a presidente da Comissão Europeia.

A Comissão Europeia quer também tornar o setor farmacêutico “mais resiliente e preparado” face a futuras crises sanitárias, através da diversificação das cadeias de fornecimento e “maior produção e investimento na Europa”.

A estratégia apresentada será debatida, a 1 de dezembro, pelo Conselho do Emprego, Política Social, Saúde e Consumidores (EPSCO), e necessita a aprovação do Parlamento Europeu e Conselho para poder ser, segundo Von der Leyen, “implementada nos próximos três anos”.

Envie este conteúdo a outra pessoa