Bayer: INFARMED aprova comparticipação de dispositivo de libertação intrauterino 525

Bayer: INFARMED aprova comparticipação de dispositivo de libertação intrauterino

23 de Junho de 2015

O INFARMED aprovou a comparticipação do dispositivo de libertação intrauterino (DLIU) Jaydess, da Bayer, para o mercado português.

 

O Jaydess apresenta-se como o dispositivo mais pequeno (28x30x1,5mm) com um estreito tubo de inserção (3,8mm). Contém 13,5 mg de levonorgestrel e tem como indicação terapêutica contraceção até 3 anos. Uma nova opção contracetiva que garante um máximo de 3 anos de liberdade do regime diário e que mostra uma elevada eficácia.

 

«A comparticipação deste medicamento pelo INFARMED representa a possibilidade de mais mulheres jovens terem acesso a uma opção de contraceção de longa duração inovadora», refere, em comunicado, Isabel Fonseca Santos, diretora médica da Bayer Portugal. «Apesar dos benefícios da contraceção de longa duração, a utilização destes métodos contracetivos é ainda muito baixa», acrescenta.

 

O mecanismo de atuação de Jaydess permite que a taxa de libertação diária de levonorgestrel seja baixa, apresenta um reservatório da hormona menos volumoso e, consequentemente, um tubo de inserção mais estreito, originando uma colocação mais fácil para o prestador de cuidados de saúde e menos dolorosa para a mulher.

 

De salientar que os critérios de elegibilidade médica da Organização Mundial de Saúde suportam o uso do DIU na maioria das mulheres, independentemente da idade ou do número de gravidezes anteriores.

 

O Jaydess liberta continuamente uma baixa dose de progesterona (levonorgestrel). 

 

Ao contrário de contracetivos como a pílula, a injeção ou o implante, o Jaydess atua sobretudo localmente no útero, resultando numa exposição sistémica baixa ao progestagénio.  Além do mais, o Jaydess pode ser removido a qualquer altura com um rápido regresso ao nível de fertilidade da mulher. 

 

Envie este conteúdo a outra pessoa