Votação favorável na AR mantém farmácia do Hospital Beatriz Ângelo 0 1124

O parlamento aprovou, na generalidade, o projeto de lei de um grupo de cidadãos sobre a manutenção e abertura de farmácias de venda ao público nas instalações dos hospitais do SNS, abrindo assim a hipótese da reabertura de outras farmácias em hospitais (ver notícia).

O diploma foi aprovado por apenas 22 dos 203 deputados presentes, pelo que a abstenção de PS, PSD, CDS-PP, PCP e PEV viabilizou esta iniciativa dos cidadãos. Apenas o BE voltou contra, informou a Agência “Lusa” em comunicado.

Os dois projetos do PAN e BE sobre a mesma matéria, discutidos na mesma sessão, foram rejeitados pelo PS, PSD e CDS, segundo a fonte. O projeto de lei do Bloco de Esquerda (BE) opunha-se à abertura de farmácias em hospitais públicos e defendia «a dispensa de medicamentos ao público pelas farmácias hospitalares do Serviço Nacional de Saúde».

Em declarações ao portal NETFARMA, Eunice Barata, proprietária da farmácia do Hospital Beatriz Ângelo, demonstra-se «muito satisfeita» com a aprovação da Iniciativa dos Cidadãos, expressando que assegura «o bom» para farmacêuticos e utentes, e favorece a rede farmacêutica. Em relação a esta rede, faz notar que «nunca defenderíamos um projeto que fosse danoso para a rede de farmácias comunitárias».

«Os utentes do HBA continuam assim a contar com a sua Farmácia, 24 horas por dia, 365 dias por ano, com a excelência de serviço a que se habituaram», remata.

A farmacêutica parabeniza ainda todas as entidades envolvidas na Iniciativa: «Estamos de parabéns, nós Farmácia, os utentes e todas as entidades envolvidas, como o Hospital Beatriz Ângelo e as Câmaras Municipais de Loures, Odivelas, Mafra e Sobral de Monte Agraço. Juntos conseguimos fazer o melhor pelos Utentes e pelo Estado».

A farmacêutica já tinha prestado declarações ao nosso portal sobre este assunto aqui.

Envie este conteúdo a outra pessoa