Laboratórios deram 200 milhões em patrocínios na saúde, em três anos 0 384

Os apoios da Indústria Farmacêutica e de dispositivos aos profissionais e organizações que trabalham no setor da saúde estão a diminuir este ano face aos dois anos anteriores. Ainda assim, até ao final de novembro, foram totalizados 59 milhões de euros.

Só os patrocínios aos médicos, a título individual, passaram de 38,5 milhões em 2017 para 26 milhões de euros até 29 de novembro deste ano, segundo os dados compilados pelo INFARMED, acedidos pelo jornal “Público”.

Nos últimos três anos, os apoios ultrapassam 216 milhões de euros no total e foram concedidos aos profissionais de saúde (médicos, farmacêuticos, enfermeiros), mas também a sociedades científicas clínicas, a associações de doentes e a hospitais públicos e privados. Foram cerca de seis milhões de euros por mês, distribuídos por esta multiplicidade de beneficiários.

Os patrocínios atingiram um recorde de quase 81 milhões de euros no ano passado (contra 76 milhões em 2016), de acordo com os dados compilados pelo INFARMED. Foram tornados públicos, desde 2013, os apoios acima de 60 euros concedidos pela Indústria Farmacêutica e, mais recentemente, pelas empresas de dispositivos médicos a profissionais e organizações do setor, de forma a permitir detetar eventuais conflitos de interesses e de relações perigosas nesta área tão sensível.

Envie este conteúdo a outra pessoa