Plano de testagem em massa gratuito arranca nas farmácias de Lisboa 1101

O Plano de Testagem em Massa e Gratuito na Cidade de Lisboa foi há pouco apresentado, em conferência de imprensa, e acompanhado, em direto, pelo Portal Netfarma. Todos os testes serão realizados nas farmácias aderentes a partir de 31 de março.

O presidente da Câmara Municipal de Lisboa (CML), Fernando Medina, apresentou este plano, anunciando que objetivo é «monitorizar o desconfinamento gradual, montando um sistema de testagem em massa para acautelar a transmissão do vírus na comunidade e diminuição de contágios».

A partir do dia 31 de março, os testes rápidos de antigénio podem ser realizados nas farmácias aderentes, que estarão identificadas e disponíveis nos sites da ANF e CML.

Segundo Medina, os critérios para se poderem fazer testes gratuitos da CML são: residir numa das freguesias acima de 120 casos por 100 mil habitantes (a lista será atualizada, quinzenalmente, nos sites e redes sociais da ANF e CML – ao dia de hoje as freguesias são Ajuda, Alvalade, Arroios, Estrela, Marvila, Olivais, S. Vicente, Sta Clara, Sta Maria Maior e Sto António); o agendamento dos testes pode ser feito diretamente ou por telefone em qualquer uma das farmácias da cidade e que façam parte do programa; cada munícipe pode fazer um teste a cada 15 dias.

As farmácias aderentes estarão ligadas ao SINAVE (sistema de informação do SNS) e os resultados dos testes ficarão automaticamente registados e acessíveis às equipas de saúde pública. Nos casos positivos, o cidadão será contactado por profissionais do SNS.

O presidente da ANF assinalou o «momento histórico, que mostra a capacidade e a importância que o poder local tem e vai ter cada vez mais em matéria de saúde pública e, nós, farmácias, partilhamos com os municípios esta proximidade às pessoas e era cada vez mais natural que os nossos caminhos se reforçassem e se aproximassem ainda mais. Temos de resolver os problemas reais de pessoas reais e num momento como o que vivemos todos somos poucos para fazer face aos problemas de saúde que temos pela frente. Testes seguros de acesso fácil nos locais onde as pessoas vivem e trabalham são um grande serviço aos cidadãos».

Paulo Cleto Duarte adiantou que mais de 100, das 242 farmácias de Lisboa, estão a participar ativamente na testagem e acredita que este número vai aumentar. «As farmácias garantem a competência do farmacêutico. Estamos preparados para assumir e reforçar esta linha da frente», frisou.

Envie este conteúdo a outra pessoa