Nove em cada dez hospitais avaliados pelo regulador com excelência clínica 0 134

Nove em cada dez hospitais, dos 124 avaliados pela Entidade Reguladora da Saúde (ERS), obtiveram classificação de excelência clínica, cumprindo todos os critérios para a prestação de cuidados de saúde de qualidade, segundo dados divulgados.

Atualmente estão abrangidos pelo SINAS@Hospitais – Sistema Nacional de Avaliação em Saúde-, um sistema de avaliação da qualidade dos estabelecimentos prestadores de cuidados de saúde, desenvolvido pela ERS, 159 hospitais dos setores público (87), privado (47) e social (25), mas apenas 124 (78%) tiveram avaliação da dimensão da Excelência Clínica, dos quais 112 (90%) conseguiram a atribuição da “estrela” correspondente ao primeiro nível de avaliação, referem os dados da ERS.

Dez hospitais não obtiveram “estrela” por não terem fornecido os elementos necessários para a avaliação, um ainda está a iniciar a avaliação e noutro estabelecimento de saúde não foi possível aferir o cumprimento com os parâmetros de qualidade exigidos.

Os dados divulgados dizem respeito exclusivamente à dimensão Excelência Clínica, dado tratar-se da única que é atualizada duas vezes por ano, sendo as restantes (segurança do doente, adequação e conforto das instalações, focalização no utente e satisfação do utente) atualizadas no final do ano, e reportam-se a episódios de internamento com alta compreendida entre 1 de julho de 2016 e 30 de junho de 2017.

Na Excelência Clínica são avaliadas as áreas de Angiologia e Cirurgia Vascular (cirurgia de vascularização arterial), Cardiologia (enfarte agudo do miocárdio), Cirurgia de Ambulatório, Cirurgia Cardíaca, Cirurgia do Cólon, Cuidados Intensivos, Cuidados Transversais, Neurologia (acidente vascular cerebral), Obstetrícia, Ortopedia e Pediatria.

Os prestadores que cumprem todos os requisitos de qualidade acedem a um segundo nível de avaliação, no qual é calculado um rating individual, com diferentes níveis de classificação.

A avaliação da ERS verificou um aumento do número de prestadores que obtiveram um nível de qualidade III nas áreas de Cirurgia do Cólon (67%) e Pediatria – Cuidados Neonatais (200%), relativamente à última avaliação efetuada referente a 2016 e publicada em janeiro de 2018.

Verificou ainda uma melhoria em alguns indicadores das áreas de Pediatria, Obstetrícia, Acidente Vascular Cerebral, Cirurgia de Ambulatório, Unidade de Cuidados Intensivos e Cuidados Transversais.

Ao longo dos anos, a ERS verificou um «aumento gradual» do desempenho médio em alguns dos indicadores avaliados, alguns dos quais a atingirem 90% e 100% em diferentes áreas como a Ortopedia, Ginecologia, Cirurgia do Cólon, Cirurgia de Revascularização do Miocárdio, Cirurgia Cardíaca, Cirurgia de Ambulatório, Enfarte Agudo do Miocárdio, AVC, Obstetrícia, Cuidados Intensivos e Avaliação da Dor, avança a agência “Lusa”.

Envie este conteúdo a outra pessoa