Henrique Santos: «o setor farmacêutico manteve-se não resolvido do ponto de vista da sua sustentabilidade» 0 254

Em declarações exclusivas ao NETFARMA, o farmacêutico comunitário Henrique Santos considera que 2018 ficou marcado pelas ruturas do abastecimento de medicamentos essenciais, defendendo a necessidade de uma maior sustentabilidade do setor farmacêutico para o próximo ano.

No balanço deste ano, o farmacêutico recorda a grande perda da Prof. Odette Ferreira, frisando que o Programa Troca de Seringas “Diz Não a uma Seringa em Segunda Mão” veio afirmar a Farmácia como um «local excelente para ações de Saúde Pública». Falando da experiência pessoal com o projeto, assegura que chegou a trocar mais de 200 seringas por dia.

Henrique Santos defende igualmente que no setor «não vivemos momentos importantes em 2018» porque «nada mudou do ponto de vista profissional, nada mudou em relação aos doentes» e «manteve-se um setor não resolvido do ponto de vista da sustentabilidade».

Ressaltou ainda a falha na resolução da vacinação sazonal nas farmácias, nos acordos em relação aos serviços das farmácias (injetáveis e outros) e nas questões relacionadas com as margens dos medicamentos. Também faz notar de que «não vi a inclusão das farmácias na Lei de Bases da Saúde».

Envie este conteúdo a outra pessoa