CIAV atendeu em 2018 mais de 30 mil chamadas de intoxicações 0 230

O Centro de Informações Antivenenos do Instituto Nacional (CIAV) de Emergência Médica (INEM), atendeu em 2018 um total de 30.445 chamadas alusivas a intoxicações agudas ou crónicas, diagnóstico, quadro clínico, terapêutica e/ou prognóstico de exposição a tóxicos.

O CIAV afirma, num comunicado a que a agência “Lusa” teve acesso, que, com uma média de 83,41 pedidos de informações por dia, esta é a atividade com mais visibilidade deste centro de informações do INEM. Este é um serviço único no país, com uma cobertura nacional e que funciona ao longo das 24 horas do dia, refere a nota, explicando que o funcionamento do CIAV é assegurado por pessoal médico especializado que está sempre disponível através de uma linha telefónica exclusiva.

Para que o CIAV possa dar resposta eficazmente e em tempo útil a situações de contato a produtos tóxicos ou intoxicação, tem de reunir toda a informação necessária ao estudo e avaliação toxicológica destes produtos.

Para cumprir com esta conjetura, em 2018 o CIAV examinou 43.798 notificações de produtos originárias de 619 empresas. Depois desse processo, é emitido um comprovativo de registo no CIAV que é essencial no processo de licenciamento dos produtos, é explicado no comunicado.

O CIAV é um centro médico de consulta telefónica na área da toxicologia, responsável pela prestação, em tempo útil, de informações necessárias e adequadas a profissionais de saúde ou ao público em geral, com uma abordagem rigorosa e eficaz a vítimas de intoxicação. Também presta informações toxicológicas sobre todos os produtos, desde medicamentos a produtos de utilização doméstica ou industrial, produtos naturais, plantas ou animais.

Envie este conteúdo a outra pessoa