APEF preocupada com carreira farmacêutica 0 488

A Associação Portuguesa de Estudantes de Farmácia (APEF) emitiu um comunicado sobre o projeto de diploma que define o regime jurídico da residência farmacêutica, onde mostra a sua preocupação relativamente à residência e à carreira farmacêutica.

Os estudantes de Ciências Farmacêuticas defendem que a residência farmacêutica consiste na “valorização justa do farmacêutico no seio do sistema de saúde, contribuindo para o seu desenvolvimento e para a potenciação dos outcomes em saúde, aliados à boa gestão do medicamento”.

Por isso é com “profunda consternação que a APEF partilha da posição resultante da Resolução da Assembleia Geral da Ordem dos Farmacêuticos, que reflete a urgência e a necessidade de se dar por concluído o processo legislativo referente à regulamentação da carreira farmacêutica e à implementação efetiva da residência farmacêutica”, sublinha a APEF no documento divulgado.

A Associação pede que o “reforço dos recursos humanos do Serviço Nacional de Saúde (SNS) deve ser transversal a toda a equipa clínica multidisciplinar, englobando as diversas classes profissionais, para que o utente possa ocupar, realmente, o foco dos cuidados de saúde”.

“A APEF entende que a efetivação deste ato legislativo como prioridade para a atual legislatura, aliada a uma consequente responsabilização do ponto de vista orçamental, permitirá a contratação de mais farmacêuticos para o SNS, desafogando as farmácias hospitalares e, acima de tudo, garantindo um serviço de qualidade e com a segurança necessária a uma excelente prestação de cuidados farmacêuticos”, defendem no comunicado divulgado.

Envie este conteúdo a outra pessoa