Acordo à vista na crise dos opiáceos nos EUA 0 314

Segundo nota da Lusa, citando a AFP, um conjunto dos maiores distribuidores norte americanos e a companhia farmacêutica Teva estão em vias de chegar a um acordo amigável para evitar um processo federal.

O acordo ainda está em negociação mas prevê o pagamento de cerca de 215 milhões de dólares (cerca de 192 milhões de euros) pelos distribuidores e 45 milhões de dólares pelo laboratório Teva, que fabrica medicamentos opiáceos genéricos.

O pagamento deverá ser feito em dinheiro e em medicamentos para tratar a dependência de opiáceos, segundo avança o Wall Street Journal, citado pela AFP.

Até ao momento só um processo foi julgado, no estado do Oklahoma. A Johnson & Johnson foi condenada, em agosto, a pagar uma multa de 572 milhões de dólares como compensação das consequências da crise naquele estado.

Os distribuidores e a companhia farmacêutica são acusados de ter feito a promoção agressiva de analgésicos opiáceos, mesmo conhecendo os seus efeitos aditivos, conseguindo lucros de dezenas de milhares de milhões de dólares graças à venda desses medicamentos, disponíveis apenas com receita médica.

Envie este conteúdo a outra pessoa