Um comprimido que vale por quatro 0 583

Segundo um estudo britânico, liderado por um professor da Universidade Britânica de Birmingham, realizado no Irão, um comprimido que vale por quatro promete reduzir em um terço os ataques cardíacos e os AVC.

Este foi o primeiro estudo realizado sobre este tema, com o intuito de avaliar os benefícios de um só comprimido, não só mais barato como também reduzir riscos de doenças coronárias ou cardíacas.

Participaram nesta investigação 6.800 pessoas entre os 50 e os 75 anos, com antecedentes cardíacos, e das zonas rurais do Irão. Todos receberam o mesmo acompanhamento para controlar a tensão arterial e o colesterol. Para além disso, 3,417 receberam este policomprimido. Os participantes foram acompanhados durante 60 meses.

Verificou-se uma redução global de 34% dos AVC e dos ataques cardíacos. Nas pessoas com problemas cardíacos, a redução foi de 20% e de 40% na restante população.

Cinco anos depois, é feita nova avaliação, desta vez com 50 045 participantes entre 40 e 75 anos, também eles do Irão. Foram seguidos durante 60 meses e os resultados idênticos.

Este policomprimido é a junção de quatro medicamentos num só: aspirina (com função anticoagulante), estatina (reduz colesterol) e dois medicamentos para baixar a tensão.

O policompripido recorre a medicamentos que já existem há muito no mercado, por isso sem direitos de patentes e com genéricos à venda a baixo custo.

Esta análise pretendia reduzir o número de comprimidos a tomar por dia, disponibilizar o mesmo a todos, em especial em zonas onde falham os serviços de saúde, assim como dar uma opção barata aos doentes.

Envie este conteúdo a outra pessoa