Troca de seringas: Farmácias dizem não ter condições para retomar programa de forma gratuita 236

Troca de seringas: Farmácias dizem não ter condições para retomar programa de forma gratuita

10-Jan-2014

O ministério da Saúde quer reativar a colaboração que funcionou durante duas décadas. As farmácias estão disponíveis para negociar, mas avisam que a situação económica e financeira não lhes permite mais prestar serviços sem receberem nada em troca.

O ministério da Saúde pretendia que o acordo já estivesse a ser posto em prática no terreno, mas não está sequer feita a negociação com as farmácias para que voltem a fazer troca da seringas de forma gratuita.

Esta foi uma colaboração com o Estado que durou duas décadas mas que está suspensa desde o final de 2012. O Governo disse que seria retomada antes do fim de 2013, no entanto a Associação Nacional das Farmácias (ANF) diz não existem para já condições para isso aconteça. O setor está disponível para negociar mas Cristina Santos, da ANF, avisa que a situação económica e financeira não lhes permite mais prestar serviços sem que recebam nada em troca.

Cristina Santos lembra que o programa foi iniciado o contexto das farmácias era «radicalmente diferente do que hoje existe». Aquela responsável adianta que no atual contexto económico das farmácias «não é possível ter este tipo de prestação de forma continua e gratuita».

As farmácias dizem que estão disponíveis para negociar com a tutela. Diz Cristina Santos que é uma questão de acertar um preço razoável às várias opções que podem ser seguidas. Do lado do ministério está tudo pronto para começar a negociar ainda em janeiro.

Francisco George, diretor-geral de saúde e que tem em mãos este dossier, diz que, para já, é prematuro falar em contrapartidas que, sublinha, antes não existiam, apontou a “TSF”. Apesar do atraso, Francisco George garante que não há falhas na troca gratuita de seringas e lembra que as seringas continuam a ser distribuídas a quem precisa quer nos serviços móveis de rua quer nos centros de saúde.

Dados disponibilizados pela ANF mostram que entre janeiro e outubro de 2012, ano em que a colaboração com o Estado foi suspensa, as farmácias recolheram mais de 450 mil seringas.

Envie este conteúdo a outra pessoa