Tratamento para hepatite C ainda não está disponível em alguns hospitais 233

Tratamento para hepatite C ainda não está disponível em alguns hospitais

03 de Junho de 2015

Passados quatro meses desde assinatura do acordo entre o Ministério da Saúde e o laboratório Gilead, que previa a comparticipação de fármacos inovadores para tratar a hepatite C, os doentes do Hospital Pulido Valente e do Hospital Amadora Sintra ainda não estão a receber a medicação.

Esta informação foi avançada à “TSF”, pelo presidente da plataforma hepatite C, António Parente.

A taxa de sucesso é elevada, em quatro mil doentes que já receberam o novo medicamento, explica António Parente, da plataforma hepatite C fala em poucos casos de rejeição.

«Há apenas 10 casos de pessoas que não conseguiram terminar o tratamento e destes houve dois que faleceram».

No entanto, e apesar destas notícias positivas, a plataforma hepatite C denuncia que há hospitais que ainda não conseguiram encaminhar o medicamento para os doentes.

«Há aqui uma discrepância no acesso à medicação. Já fizemos chegar uma carta ao senhor ministro com as nossas preocupações e estamos à espera que isto seja alterado».
António Parente dá o exemplo do Hospital Pulido Valente e do Hospital Amadora Sintra, ambos na região de Lisboa.

Confrontados com estas acusações, o Hospital Amadora Sintra garante que os doentes que lá são seguidos estão a receber o tratamento inovador.

No Pulido Valente, o responsável pelo gabinete de Relações Públicas diz que não entende e não vai comentar a situação, mas lembra que esta unidade integra o Centro Hospitalar de Lisboa Norte, do qual também faz parte o Hospital de Santa Maria, onde todos os doentes são tratados como iguais.

Envie este conteúdo a outra pessoa