Projetos para 2017 dos Hospitais de Coimbra ultrapassam os 13 milhões de euros 0 83

Projetos para 2017 dos Hospitais de Coimbra ultrapassam os 13 milhões de euros

16 de janeiro de 2017

O Centro Hospitalar e Universitário de Coimbra (CHUC) anunciou hoje vários projetos para 2017 em montante superior a 13 milhões de euros, que incluem o início do processo de construção da nova maternidade e a requalificação das urgências.

Em declarações à agência “Lusa”, o presidente do conselho de administração, Martins Nunes, referiu que o CHUC tem um capital estatutário de quatro milhões de euros que vai começar a ser utilizado este ano no projeto de arquitetura da nova maternidade, estrutura que representa um investimento de 16,8 milhões de euros.

Até ao final do ano, aquele responsável pretende lançar o concurso público de adjudicação da construção do futuro edifício, que deverá estar concluído entre o final de 2019 e o início de 2020.

Por outro lado, o anteprojeto da requalificação e apetrechamento das urgências no polo do hospital universitário já foi entregue na Comissão de Coordenação e Desenvolvimento Regional do Centro (CCDRC) para ser financiado por fundos comunitários do Portugal 2020.

Martins Nunes prevê que até ao final do ano possa estar concluída a intervenção, num investimento estimado em 4,2 milhões de euros.

Também em 2017 deverá entrar em funcionamento a Sala Híbrida da Cirurgia Cardiotorácica, novo equipamento para implementação de um programa de implantação percutânea de válvula aórtica com valor estimado em 738 mil euros, também com financiamento comunitário do Portugal 2020.

«Este programa permite poupanças de pagamentos ao exterior já este ano de cerca de 200 mil euros, sendo que, tendo em consideração o previsível aumento da sua utilização, em 2020 poderá atingir poupanças muito significativas na ordem de 1,5 milhões de euros», sublinhou Martins Nunes.

Para o presidente do conselho de administração do CHUC, trata-se de «um avanço tecnológico e científico muito grande».

O plano de investimentos prevê também a implementação do projeto SAMA 2020+TIC, que visa a modernização dos sistemas de informação e tecnologias de informação e comunicação de todos os polos do CHUC, num investimento de cerca de 3,6 milhões de euros, financiado pelo Portugal 2020, que já «está em franco desenvolvimento».

Por outro lado, a administração do CHUC vai avançar com a requalificação e ampliação da Anatomia Patológica, num investimento estimado em 2,3 milhões de euros, e com a nova Angiografia digital, que vai custar cerca de 700 mil euros, ambas financiadas pelo Governo.

«São investimentos que fazem falta, mas, sobretudo, dão um avanço e um salto qualitativo no hospital», frisou o presidente do conselho de administração.

Martins Nunes adiantou ainda que, no âmbito da eficiência energética, está a ser preparada uma candidatura a fundos comunitários, abrangendo oito edifícios, que terá de ser entregue até 28 de abril, num investimento previsto de 1,5 milhões de euros.

No âmbito do processo de internacionalização, está previsto que durante este ano o CHUC se ligue à Universidade de Miami, «considerado o centro com maior capacidade operativa» nos Estados Unidos da América, para projetos de cooperação em áreas que já são hoje utilizadas em telemedicina e em novos setores, que estão em estudo.

Envie este conteúdo a outra pessoa