Projeto que vigia saúde a habitantes no Sabugal alargado em setembro à Guarda 232

Projeto que vigia saúde a habitantes no Sabugal alargado em setembro à Guarda

11 de julho de 2014

O estudo na área da saúde que está a ser realizado pelo Centro de Investigação e Desenvolvimento da Beira (CIDB) na freguesia de Casteleiro, Sabugal, vai ser alargado à Guarda, adiantou ontem fonte ligada ao projeto.

João Luís Baptista, professor na Universidade da Beira Interior (UBI), na Covilhã, e coordenador do CIDB disse à agência “Lusa” que o projeto de aplicação do SVD – Sistema de Vigilância Demográfica (coorte de base populacional) junto de mil habitantes de uma rua da cidade da Guarda vai começar no início de setembro, com a realização de inquéritos porta a porta.

O responsável esclareceu que, na Guarda, «é como no Casteleiro, a unidade é a rua, são todas as pessoas que lá vivem, independentemente da idade ou de qualquer outra coisa».

«Na Guarda, vai ser precisamente o mesmo procedimento. Vamos porta a porta tirar o GPS [georreferenciação], fazer o mesmo inquérito, a mesma coisa. E, depois, as pessoas que estiverem em casa fazem o inquérito dentro da casa, daquilo que for definido», disse o responsável indicando que na cidade o estudo vai incidir na rua Pedro Álvares Cabral.

A artéria foi escolhida por refletir «mais ou menos a realidade da zona urbana da Guarda» por ser «central e muito longa», esclareceu.

A aplicação do SVD inclui o levantamento demográfico, da pré-diabetes, da doença pulmonar obstrutiva crónica e de indicadores do ambiente, além do perfil de saúde dos habitantes daquela zona da cidade da Guarda localizada no raio de ação da unidade de saúde familiar A Ribeirinha.

Os dados do estudo criarão uma plataforma informatizada que poderá ser utilizada tanto em estudos descritivos (prevalência, incidência, fatores de risco, modos de vida, etc.), analíticos ou de avaliação de intervenções na comunidade, por exemplo, ao nível da promoção da saúde, segundo os promotores.

João Luís Baptista disse que para o inquérito a realizar na Guarda foi pedida a colaboração dos alunos da Escola Superior de Saúde.

A Unidade Local de Saúde (ULS) local disponibilizou uma sala, no hospital, para ser utilizada pelos investigadores durante a fase de recolha da informação, indicou.

A UBI, a ULS/Guarda, o Centro Hospitalar da Cova da Beira, a Direção Geral de Saúde, a Associação Protetora dos Diabéticos de Portugal e o Centro de Investigação em Saúde Comunitária são algumas das entidades envolvidas na iniciativa.

O mesmo projeto também prevê a possibilidade de realização de um estudo idêntico em território espanhol, na área da Junta de Castilla e Léon.
 

Envie este conteúdo a outra pessoa