Portugal lidera projeto europeu de 22 milhões de euros para tornar universal acesso a dados de saúde 0 398

O Smart4Health é o maior projeto de investigação jamais coordenado por Portugal no âmbito do Programa Europeu de Investigação e Inovação Horizonte 2020. Tem por objetivo potenciar soluções personalizadas de saúde através da troca universal de Registos de Saúde Eletrónicos.

Como consta no comunicado da Agência Nacional de Inovação, o desenvolvimento deste projeto vai permitir a cidadãos e prestadores de cuidados de saúde colaborarem num sistema digital e integrado com médicos e investigadores. Conta-se com uma melhoria dos cuidados clínicos e dos planos de tratamento dos cidadãos ao permitir que as equipas médicas e prestadores de cuidados de saúde tenham acesso ubíquo e em tempo útil aos Registos de Saúde Eletrónicos, permitindo uma melhor e mais informada tomada de decisão. O Smart4Health rege-se por dois pilares que têm por base as necessidades do utente numa sociedade cada vez mais digital: participar na gestão da própria saúde e ajudar a sociedade através da partilha dos seus dados.

Ricardo Jardim Gonçalves, coordenador do Smart4Health, assegura: «o Smart4Health vai mudar radicalmente e a nível global o paradigma como os serviços de saúde, bem-estar e assistência são prestados». Informa ainda que a equipa internacional do projeto «está totalmente empenhada e Portugal tem a responsabilidade de coordenar este esforço conjunto». Assim, o projeto Smart4Health dá resposta «à estratégia Europeia da transformação digital e suporte à inovação social, ao apoiar a reforma dos sistemas digitais para a saúde e a sua transição para novos modelos interoperáveis e centrados nas necessidades das pessoas».

O projeto recebeu um financiamento de 22 milhões de euros, dos quais mais de 4 milhões para entidades portuguesas. O Presidente da instituição, Eduardo Maldonado, diz que «a ANI, através do Gabinete de Promoção do Programa Quadro (GPPQ), apoia a participação das entidades Portuguesas no Horizonte 2020. Os resultados de 2018 na área da saúde foram bastante positivos, com financiamento total de 10,6 milhões de euros angariados por entidades nacionais, o que corresponde a uma taxa de sucesso de 17%, refletida em 15 novos projetos Europeus com participação Portuguesa».

Smart4Health conta com um consórcio de 18 parceiros internacionais liderado por Ricardo Jardim Gonçalves, Professor Catedrático na Faculdade de Ciências e Tecnologia da Universidade Nova de Lisboa (FCT NOVA) e coordenador da unidade de investigação GRIS do Centro de Tecnologia e Sistemas (CTS) no Instituto de Desenvolvimento de Novas Tecnologias da Universidade Nova de Lisboa (Uninova). O projeto conta ainda com mais dois parceiros Portugueses, a Secretaria Regional da Economia, Turismo e Cultura da Madeira e a empresa Knowledgebiz Consulting.

Envie este conteúdo a outra pessoa