Portugal desenvolve primeira máscara que inativa o vírus SARS-CoV-2 416

Foi criada em Portugal, num projeto de cooperação entre a comunidade empresarial, académica e científica, a máscara MOxAdTech, a primeira máscara têxtil e reutilizável com capacidade comprovada para inativar o novo coronavírus, responsável pela covid-19.

A máscara MOxAdTech já tinha realizado testes para comprovar a proteção microbiana, e agora superou com sucesso os testes realizados pelo Instituto de Medicina Molecular João Lobo Antunes (iMM), passando a estar comprovada também a capacidade do tecido de inativar o vírus SARS-CoV-2, agente que provoca a covid-19.

Desenvolvidas em têxtil técnico com várias camadas distintas, as máscaras são repelentes à água e confortáveis, facilitando a sua utilização. Outra das grandes vantagens deste produto inovador é o facto de ser reutilizável, permitindo proteger não só os seus utilizadores, mas também o ambiente, uma vez que minimiza a produção diária de resíduos e, consequentemente, elimina potenciais focos de contaminação.

A máscara tem um revestimento inovador que neutraliza o vírus SARS-CoV-2 quando este entra em contacto com o tecido, efeito que se mantém mesmo depois da realização de 50 lavagens.

Para além disso, apresenta ainda características antimicrobianas, com eficácia comprovada contra vírus e bactérias, estando a sua tecnologia acreditada a nível internacional. O princípio ativo já tinha sido testado com sucesso por um reconhecido instituto Francês, nomeadamente contra o vírus H1N1 e vírus Corona-type, bem como contra o rotavírus.

A máscara está também certificada para a proteção respiratória de partículas externas, conferida pela elevada capacidade de retenção de partículas da fibra/malha.

Em Portugal, já obteve certificação de máscara social de nível 2 profissional pelo Centro Tecnológico Têxtil e Vestuário (CITEVE), com capacidade testada de retenção de partículas de 95% após 10 lavagens. Já a nível internacional, MOxAd-Tech está certificada para 50 lavagens, nomeadamente em França pela Direccion Generale de Entreprises, onde os testes realizados pela entidade certificadora oficial Francesa comprovam que a máscara mantém uma retenção de partículas de 96% mesmo após 50 lavagens.

A máscara apresenta ainda a certificação OEKO-Tex, comprovando a ausência de produtos químicos nocivos durante o processo de fabrico, o que significa que é inofensivo em termos ecológicos humanos, assim como cumpre com todos os requisitos presentes na nova harmonização de regulamentação europeia, de acordo com a publicação CWA_17553_2020.

A MOxAd-Tech, resultou inicialmente da cooperação entre a fabricante Adalberto, a retalhista de moda MO da Sonae Fashion, o iMM, o centro tecnológico CITEVE, e a Universidade do Minho.

A máscara encontra-se em comercialização no nosso país desde abril, nas lojas MO, Continente e Well´s, assim como em toda a União Europeia, tendo um custo de 10 euros.

Envie este conteúdo a outra pessoa