Passos Coelho pede candidatura à EMA que evite “macrocefalia” 0 125

Passos Coelho pede candidatura à EMA que evite “macrocefalia”

 

Passos Coelho pede candidatura à EMA que evite “macrocefalia”


26 de junho de 2017

O presidente do PSD, Pedro Passos Coelho, defendeu ontem uma candidatura à fixação em Portugal da Agência Europeia do Medicamento feita «evitando a macrocefalia secular».
«Estou convencido que é possível, no quadro nacional, criar ainda condições para que a candidatura que venha a ser apresentada pelo país, o possa ser evitando a macrocefalia que é realmente secular, mas que se tem intensificado nas décadas recentes e tenho a certeza que o Porto é um natural competidor por essa candidatura e essa localização», afirmou.

O líder social-democrata assinalou que ainda não se sabe se o país «tem condições ou não efetivas para fixar essa agência», e, defendendo uma maior “abertura”, criticou a forma como as autoridades deixaram «muitíssimo a desejar na forma como foram preparando o terreno para a candidatura».

Para o líder do PSD, «era muito importante que uma vez conhecidos os requisitos para as candidaturas elas tivessem sido abertas de uma forma competitiva para as regiões do país que se sentissem em condições de preencher aqueles critérios».

«Eu acho que aí, o que era importante era que não se concentrasse estritamente em Lisboa a candidatura, uma vez que há muito a ganhar em que outras regiões pudessem ter competido, de uma forma transparente e aberta, para poder vir a integrar a candidatura portuguesa à fixação dessa agência», realçou.

De acordo com as informações avançadas pela “Lusa”, na passada semana, o primeiro-ministro, António Costa, afirmou em Bruxelas que do ponto de vista interno seria obviamente melhor que fosse o Porto a cidade candidata a acolher a sede da Agência do Medicamento, por uma questão de «redistribuição das oportunidades».

Agendada para novembro, a decisão final será tomada de acordo com as regras agora formalmente adotadas.

Envie este conteúdo a outra pessoa