Opdivo (Nivolumab) obtém avaliação económica deferida em Portugal® para o tratamento do carcinoma de células escamosas da cabeça e pescoço e do carcinoma das células renais 0 311

Opdivo® é o inibidor do checkpoint imunitário PD-1 com avaliação económica em Portugal deferida para o tratamento do carcinoma das células escamosas da cabeça e pescoço recorrente ou metastático e do carcinoma das células renais avançado, tendo 10 indicações aprovadas pela Agência Europeia de Medicamentos (EMA ) em diversos tipos de tumores.

Nivolumab, em monoterapia, é indicado para o tratamento do carcinoma de células escamosas da cabeça e pescoço recorrente ou metastático em adultos, quando existe progressão durante ou nos 6 meses após terapêutica baseada em platina em doentes com bom estado funcional.

Nivolumab, em monoterapia, é indicado para o tratamento do carcinoma de células renais avançado após terapêutica prévia em adultos.

Nivolumab apresentou taxa de sobrevivência global significativamente superior quando comparado com outras terapêuticas no tratamento do carcinoma das células escamosas da cabeça e pescoço recorrente ou metastático, e quando comparado com everolimus no tratamento do carcinoma das células renais avançado.
(LISBOA, 05 de Junho de 2019) – A Autoridade Nacional do Medicamento e Produtos de Saúde, I.P. (INFARMED) autorizou a aquisição do medicamento Opdivo® (nivolumab) pelos Hospitais do Serviço Nacional de Saúde, no tratamento das seguintes indicações terapêuticas:
Nivolumab em monoterapia, está indicado para o tratamento do cancro de cabeça e pescoço de células escamosas (CCPCE) em adultos, com progressão durante ou nos 6 meses após terapêutica baseada em platina em doentes com bom estado funcional , sem metástases cerebrais ativas..
Nivolumab, está também aprovado em monoterapia para o tratamento de doentes adultos com carcinoma de células renais (CCR) avançado, que tenham recebido terapêutica sistémica previa de primeira linha antiantiogénica, e não tenham recebido mais do que uma linha de terapêutica sitemica previa.
“Estas aprovações representam para nós o sucesso da aposta da Bristol-Myers Squibb na Imuno-Oncologia e do compromisso que assumimos com a sobrevivência global dos doentes com cancro em Portugal”, afirma Roberto Úrbez, Vice-presidente Europeu e Diretor Geral da Bristol-Myers Squibb Espanha e Portugal.
O Dr. Helder Mansinho, Diretor do Serviço de Hemato-Oncologia do Hospital Garcia de Orta, em Almada, refere que “pela primeira vez, os doentes com carcinoma de células renais avançado têm acesso em Portugal a um agente de imuno-oncologia que demonstrou um benefício de sobrevivência global significativo, juntamente com um perfil de segurança favorável”. “É importante notar que além dos resultados de eficácia clínica, os doentes demonstraram uma melhoria da sua qualidade de vida e tiveram uma incidência significativamente menor de efeitos secundários ao longo do tratamento, representando este um progresso importante na gestão da doença oncológica.”
De acordo com a Dr.ª Ana Castro, presidente do Grupo de Estudos de Cancro de Cabeça e Pescoço, “os doentes com cancro da cabeça e pescoço enfrentam um prognóstico muitas vezes reservado e sempre debilitante. Com nivolumab temos, pela primeira vez em muitos anos, uma opção terapêutica que combina benefícios significativos a nível de sobrevida global mas também um perfil de tolerabilidade muito favorável em relação às opções já existentes”. “Enquanto médica, é com grande ânimo que vejo os doentes experimentar não só uma eficácia clínica significativa mas também uma importante melhoria na qualidade de vida. Este é, sem dúvida, um progresso importante para tratamento do cancro de cabeça e pescoço”, acrescenta.

Envie este conteúdo a outra pessoa