OMS critica reforço de vacinação quando existem países sem população imunizada contra a covid-19 226

A Organização Mundial da Saúde (OMS) condenou o avanço de uma terceira dose da vacina contra o novo coronavírus nos países mais ricos, quando ainda existem países menos desenvolvidos que não têm a população imunizada.

“Estamos a dar coletes salva-vidas às pessoas que já têm coletes salva-vidas, enquanto existem outras pessoas que estão a morrer, esta é a realidade”, refere o diretor do Programa de Emergências de Saúde da MS, Michael Ryan, citado no comunicado da Agência Lusa.

Os dados obtidos pela OMS indicaram que não existe a necessidade imediata de partir para uma terceira vaga de imunização nos países desenvolvidos.

O diretor geral do organismo de tutela da saúde mundial, Tedros Ghebreyesus, voltou a lembrar que os países mais pobres vacinaram apenas 2% da população total.

“A injustiça vacinal é uma vergonha para toda a humanidade e se não a enfrentarmos juntos, prologamos o estado agudo desta pandemia por anos, quando poderia acabar numa questão de meses”, disse Tedros Ghebreyesus, citado no comunicado enviado pela agência de notícias.

Com o intuito de travar a propagação da variante delta, os Estados Unidos da América, a Alemanha, a França e a Bélgica anunciaram que vão avançar para a administração de uma terceira dose à população mais fragilizada, como os idosos e os imunodeprimidos.

Envie este conteúdo a outra pessoa