Novo diretor-executivo diz que aceitou cargo pela defesa intransigente do SNS 118

O novo diretor-executivo do Serviço Nacional de Saúde, Fernando Araújo, afirmou esta sexta-feira que aceitou o convite do ministro da Saúde para desempenhar este cargo com um sentimento de dever na defesa intransigente do SNS, dos seus profissionais e utentes.

Numa breve declaração no final da conferência de imprensa sobre a Direção-Executiva do SNS, sem direito a perguntas dos jornalistas, em que o ministro da Saúde, Manuel Pizarro, anunciou o seu nome, Fernando Araújo disse que foi com “uma enorme honra” que recebeu o convite do governante para assumir este cargo.

“Foi com enorme honra que recebi o convite do ministro da Saúde para presidir à direção executiva do SNS e aceitei com um sentimento de dever na defesa intransigente do nosso Serviço Nacional de Saúde, dos seus profissionais e dos utentes que é para ele que trabalhamos todos os dias”, declarou Fernando Araújo, atual presidente do Centro Hospitalar Universitário de São João, no Porto, cargo que exerce desde abril de 2019.

O médico e ex-secretário da Estado da Saúde disse que vai agora aguardar pela nomeação nos termos legais e “a partir daí começar a proceder à instalação da nova estrutura”, para a partir de 1 de janeiro começar “a trabalhar ativamente na melhoria do desempenho do nosso SNS”.

Questionado na conferência de imprensa sobre os restantes elementos da equipa de gestão da direção-executiva, o ministro da Saúde esclareceu que competirá ao diretor executivo indicar com “total autonomia” os elementos que o vão acompanhar.

“Tratará de reunir pessoas que tenham, ao mesmo tempo, experiência no sistema de saúde e experiência nas diferentes áreas que a direção executiva tem a partir deste momento que tutelar”, disse Manuel Pizarro.

Sobre quem irá substituir Fernando Araújo no Centro Hospitalar Universitário de São João, Manuel Pizarro afirmou que, como indica o estatuto do SNS, cabe ao à direção executiva propor ao membro do Governo os novos cargos de gestão.

“Isso será feito e será feito nos próximos tempos. Imagino até que durante algumas semanas seja possível que o professor Fernando Araújo possa manter a liderança do Hospital de São João enquanto vai trabalhando na instalação da futura direção executiva” que só entra plenamente em funções com o Orçamento de Estado para 2023, a partir do dia 1 de janeiro do próximo ano.

Manuel Pizarro disse ainda que foi assegurado à direção-executiva o financiamento para melhorar o Serviço Nacional de Saúde. “Nós temos recursos financeiros para que o Serviço Nacional de Saúde funcione de forma adequada, mas eu tenho as maiores dúvidas de que as maiores dificuldades do SNS hoje sejam de recursos financeiros”.

“Sim, serão sempre necessários mais recursos, seria estranho até que um ministro da Saúde, fosse ele quem fosse, dissesse que acha que não precisa de mais recursos, mas nós temos também que olhar para a necessidade de utilizar de forma mais eficiente e mais eficaz os recursos que estão hoje ao nosso dispor e eu diria que uma parte do trabalho que nós vamos pedir à direção executiva, que terá que realizar, é mesmo de garantir uma maior eficiência na utilização dos recursos”, declarou.

A escolha de Fernando Araújo foi hoje oficialmente confirmada por Manuel Pizarro, depois de o nome do médico ter sido amplamente apontado como titular do cargo, no dia em que foi publicado no Diário da República o diploma do Governo que regulamenta a direção executiva.

WordPress Ads

Envie este conteúdo a outra pessoa