Monkeypox: Regulador europeu inicia avaliação dos dados da vacina da varíola 274

A Agência Europeia do Medicamento (EMA) anunciou esta terça-feira que está a avaliar o alargamento do uso da varíola para a imunização contra a doença monkeypox, tendo em conta a semelhança dos dois vírus.

“O Comité de Medicamentos Humanos da EMA iniciou uma revisão de dados para alargar o uso da vacina contra a varíola Imvanex para incluir a proteção das pessoas contra a doença monkeypox”, adiantou em comunicado o regulador europeu, citado pela Lusa. A Imvanex está atualmente autorizada na UE para a prevenção da varíola em adultos, mas, tendo em conta as semelhanças entre os dois vírus, “é também considerada uma vacina potencial para a monkeypox”, referiu a EMA. A decisão tem em conta os resultados de estudos laboratoriais não clínicos que sugerem que a vacina desencadeia a produção de anticorpos que visam o novo vírus monkeypox.

A disponibilidade da Imvanex é limitada na União Europeia, mas a vacina é comercializada nos Estados Unidos com a designação Jynneos, onde já é autorizada para a prevenção da varíola e da monkeypox. “Tendo em conta a disponibilidade limitada da Imvanex, a `task force´ de emergência da EMA recomendou que a Jynneos possa ser utilizada para proteger contra a doença monkeypox na União Europeia”, avançou ainda o comunicado.

A Espanha já recebeu esta terça-feira a primeira entrega de 5.300 doses de vacinas contra o vírus monkeypox, seguindo-se Portugal, Alemanha e Bélgica em julho e agosto, numa série de entregas anunciada pela Comissão Europeia, com o objetivo de assegurar que “todos os Estados-membros estão prontos a responder ao atual surto de varíola dos macacos, dando prioridade aos mais afetados”. Em Portugal, 373 casos já foram confirmados, segundo o último balanço da Direção-Geral da Saúde (DGS).

Envie este conteúdo a outra pessoa