Laboratório que comercializa Nolotil nega restrições do medicamento em Espanha 0 84

O laboratório que comercializa o medicamento Nolotil nega que tenha havido uma restrição à venda do fármaco em Espanha depois de ter sido associado à morte de dez britânicos, mas «um reforço de que apenas deve ser utilizado com prescrição». O esclarecimento surge na sequência da notícia avançada pelo jornal “El Espanhol”, segundo a qual o analgésico tinha sido proibido a turistas, na sequência da atualização da ficha técnica do metamizol pela Agência Espanhola de Medicamentos e Produtos Sanitários (AEMPS).

«A Agência Espanhola não impôs nenhuma restrição relativa à utilização ou à comercialização do Nolotil, na sequência da avaliação dos casos descritos. Houve sim, um reforço de que todos os medicamentos contendo metamizol apenas devem ser utilizados mediante prescrição médica e que devem ser tomados de acordo com as instruções de utilização aprovadas», refere o laboratório em comunicado, acedido pelo jornal “Observador”.

No mesmo texto, a farmacêutica esclarece que ainda que «a agranulocitose, situação médica descrita nas notícias, é uma reação adversa há muito conhecida para o metamizol e que ocorre com uma frequência muito rara, o que significa que pode afetar até 1 em cada 10.000 pessoas».

A Boehringer Ingelheim sublinha ainda que «o Nolotil é um medicamento que se encontra no mercado há várias décadas com longa experiência clínica e amplamente conhecido pelos especialistas, e que as condições aprovadas para a sua utilização não foram alteradas na sequência dos casos descritos. Foram sim, reforçadas».

Na mesma nota, o laboratório «lamenta as mortes ocorridas e continuará a monitorizar e avaliar, em colaboração com as autoridades de saúde, quaisquer questões de segurança potencialmente associadas aos seus medicamentos».

Envie este conteúdo a outra pessoa