INFARMED: Uso de valproatos na gravidez pode aumentar risco de malformações 336

INFARMED: Uso de valproatos na gravidez pode aumentar risco de malformações

 


30 de junho de 2017

O INFARMED alerta no seu site que a toma de ácido valproico, para o tratamento da epilepsia, da doença bipolar e na prevenção de enxaquecas, durante a gravidez pode aumentar o risco de «malformações graves nos bebés e afetar o seu desenvolvimento».

Apesar dos benefícios associados a este fármaco ultrapassarem os riscos, a Autoridade Nacional do Medicamento recomenda, num comunicado, que a sua utilização «seja avaliada com cautela e celeridade».

Se as grávidas tomarem valproatos para prevenir enxaquecas devem interromper de imediato o seu uso.

Contudo, de acordo com o regulador dos medicamentos em Portugal, o tratamento não deve ser suspenso, no caso das grávidas bipolares ou que sofram de epilepsia. Essa será uma decisão da responsabilidade do médico que deve ser contactado de imediato.

O INFARMED tem estado a acompanhar a informação relativa ao uso destas substâncias, à semelhança do que a Agência Europeia do Medicamento (EMA) tem feito, especialmente desde 2014, acrescentou a entidade em comunicado.

Envie este conteúdo a outra pessoa