Infarmed termina presidência portuguesa do Conselho da UE 280

A Autoridade Nacional do Medicamento e Produtos de Saúde, I.P. (Infarmed), terminou esta quarta-feira, dia 30 de junho, os seis meses de presidência portuguesa do Conselho da União Europeia (UE).

Este mandato foi marcado pela luta contra a pandemia de covid-19, particularmente pelos processos de aquisição e distribuição de vacinas aos Estados membro e pelo desenvolvimento do Certificado Digital Covid.

Nos últimos seis meses, o Infarmed liderou a concretização dos objetivos assumidos por Portugal na área dos medicamentos e dispositivos médicos, focado numa maior disponibilidade destes e centrando o debate em três pilares centrais: autonomia estratégica, sustentabilidade e acessibilidade, sempre tendo em conta o aprofundamento da interligação entre medicamentos e dispositivos médicos.

Para além das 20 reuniões organizadas, com mais de 70 representantes da Rede de Autoridades Competentes em Preços e Comparticipações (NCAPR), dos 27 países europeus, o Infarmed organizou ainda a Conferencia internacional 3A’s, que foi essencial para a preparação da proposta de Conclusões do Conselho que acabaria por ser adotada já este mês de junho.

Em comunicado divulgado, o Infarmed indicou que irá divulgar brevemente um balanço sobre os objetivos assumidos e os resultados das iniciativas promovidas durante os seis meses da Presidência Portuguesa do Conselho da UE.

Envie este conteúdo a outra pessoa