Infarmed recorda autoridades hospitalares para a necessidade da “utilização criteriosa” das reservas de sangue 320

A Autoridade Nacional do Medicamento e Produtos de Saúde, I.P. (Infarmed) emitiu uma Circular Informativa a relembrar as autoridades hospitalares para a necessidade da “utilização criteriosa” das reservas de sangue, emitida em 2020.

Nessa nota, o Infarmed recorda as orientações da Comissão Nacional de Farmácia e Terapêutica (CNFT), divulgadas em maio do ano passado, e “alertava também para os efeitos da pandemia na atividade de colheita de plasma humano a nível global e, consequentemente, nas quantidades de imunoglobulina humana normal
disponíveis a nível europeu. Este é um problema que está a afetar a generalidade dos países europeus de uma forma transversal, incluindo Portugal”, indica a circular.

O Infarmed informa também que “tem vindo a trabalhar com as demais autoridades do medicamento da União Europeia e com os titulares de autorização de introdução no mercado (AIM) no sentido de rever as condições de comercialização dos medicamentos contendo Imunoglobulina Humana Normal e dessa forma assegurar a sua disponibilidade no mercado nacional. Este processo encontra-se em curso, prevendo-se a sua conclusão para breve”.

Consulte a Circular Informativa aqui.

Envie este conteúdo a outra pessoa