Infarmed atribui licença para a produção de medicamentos à base de canábis 0 307

A Autoridade Nacional do Medicamento e Produtos de Saúde (Infarmed) atribuiu à empresa canadiana EXMceuticals a primeira licença para investigação e desenvolvimento de produtos farmacêuticos à base de canábis.

Segundo um comunicado divulgado, a EXM já tem um laboratório operacional no Centro de Inovação do Campus da Faculdade de Ciências da Universidade de Lisboa, que deverá ficar operacional e completamente licenciado até ao final do primeiro trimestre do próximo ano. O montante do investimento não é conhecido.

Estas instalações vão permitir à EXMceuticals exportar grandes volumes de produtos refinados com um elevado grau de pureza para a União Europeia e para o resto do mundo.

Com esta licença, a empresa prevê criar mais de 80 empregos “altamente qualificados” na área da investigação e ciência em Portugal, que irão trabalhar com “tecnologia de ponta”, indicam no mesmo comunicado.

A empresa indica ter acordos de colaboração com a Universidade Nova de Lisboa e com a Lusófona. Para além disso, parcerias com uma “empresa portuguesa líder no setor dos cosméticos” e com “empresas portuguesas relevantes no setor da alimentação e bebidas”.

Com a licença garantida, a EXM acredita que tem condições para “iniciar novos projetos de investigação” ao abrigo do programa de incentivos Portugal 2020.

A EXM indica também estar ansiosa “por trabalhar com o Infarmed e com a comunidade médica de Portugal no sentido de produzir ingredientes canabinóides de grau farmacêutico”.

O recurso à canábis para fins medicinais foi aprovado no parlamento em 2018. Desde então foram quatro as empresas que garantiram licenças para cultivo, importação e exportação de canábis para fins medicinais.

Envie este conteúdo a outra pessoa