Greve dos enfermeiros: Adiadas 1.000 cirurgias no Porto e em Lisboa 0 139

 

 

14 de agosto de 2018

A paralisação de cinco dias dos enfermeiros vai obrigar ao adiamento de 1.000 cirurgias nos hospitais de Santa Maria e S. José, em Lisboa, e no São João, no Porto. A adesão no segundo dia de greve «manteve-se nos níveis de segunda-feira, oscilando entre os 83 e os 96%», avançou fonte sindical.

«Nestes cinco dias 1.000 cirurgias vão ser adiadas» nestes três hospitais, porque «os blocos cirúrgicos normais estão parados», referiu José Correia Azevedo, dirigente da Federação Nacional dos Sindicatos de Enfermeiros (FENSE) à agência “Lusa”.

O dirigente sindical disse que não são esperadas grandes oscilações nos próximos três dias, uma vez que «as equipas, quando recebem o pré-aviso, começam a fazer o plano de trabalho, que neste momento já está feito para os cinco dias».
 
Os serviços mínimos estão assegurados nas consultas e nas cirurgias de urgência para «evitar situações de não retorno», sendo que todos os serviços que dizem respeito «a pensos, injetáveis, administração terapêutica» , que são «absolutamente essenciais», estão garantidos. Quanto às consultas hospitalares que contam com o apoio da enfermagem «estão paradas».

Entre as várias reivindicações da classe, é exigida a conclusão da negociação do Acordo Coletivo de Trabalho entregue pelos sindicatos a 16 de agosto de 2016.

Envie este conteúdo a outra pessoa