Farmacêuticos hospitalares europeus apoiam advertências sobre vacinação 0 316

A Associação Europeia de Farmacêuticos Hospitalares (EAHP) apoia a Recomendação do Conselho Europeu, adotada em dezembro, para fortalecimento da colaboração em torno da vacinação contra doenças preveníveis.

Os farmacêuticos hospitalares europeus vieram reforçar a importância da educação e formação dos profissionais de saúde na proteção dos cidadãos e realçam que o problema acentuado de escassez de vacinas deve ser tratado a nível europeu, através de uma investigação sobre as suas causas e ainda de novas soluções para prevenir o fenómeno.
Em comunicado que o site da OF refere, a EAHP apela aos governos de cada país para que ofereçam aos profissionais de saúde oportunidades de educação e formação no campo da vacinação.

A dúvida quanto à vacinação é uma preocupação para a associação, que recebe com satisfação a intenção da Comissão Europeia de lutar contra a desinformação online sobre vacinas, e desenvolver ferramentas de informação baseadas em evidências e orientações para apoiar os Estados membros na resposta ao incremento das taxas de hesitação à vacinação.

O relatório de 2018 da EAHP sobre falhas de abastecimento identificou as vacinas como o segundo grupo de produtos farmacêuticos com maior falta no ambiente hospitalar – 43% dos farmacêuticos hospitalares participantes de 38 países europeus notaram problemas de escassez com vacinas contra Hepatite B, Pneumocócica, Tuberculose, Tétano e Hepatite A.

Os relatórios sobre as falhas de medicamentos aumentaram em 13% desde o último inquérito da EAHP, em 2014.

A coordenação a nível europeu será mais necessária no primeiro semestre de 2019, uma vez que os novos regulamentos destinados a combater os medicamentos falsificados e o Brexit podem ter impacto na disponibilidade de medicamentos, tais como o caso das vacinas.

Envie este conteúdo a outra pessoa