Eli Lilly: União Europeia autoriza Trulicity para diabetes tipo 2 1128

Eli Lilly: União Europeia autoriza Trulicity para diabetes tipo 2

28 de novembro de 2014

A Comissão Europeia aprovou o agonista do recetor do GLP-1, Trulicity (dulaglutido), da Eli Lilly para melhorar o controlo da glicémia em adultos com diabetes tipo 2, segundo informação divulgada pelo “FirstWord”.

A empresa farmacêutica realçou que a terapêutica, que estará disponível durante o próximo ano para os pacientes que vivem na Europa, «é o único tratamento injetável para a diabetes sem insulina, em formato de caneta com uma agulha que não está visível».

O uso de Trulicity é indicado em combinação com outros fármacos que diminuem a glicose, incluindo a insulina, quando este, juntamente com dieta e exercício físico, não é capaz de realizar um controlo adequado da glicémia. Esta terapêutica da Eli Lilly também é apropriada enquanto monoterapia, quando a dieta e o exercício físico por si só não permitem um controlo adequado da glicémia, em pacientes em que seja considerado inadequado o uso de metformina, devido a intolerância ou contraindicações.

«A aprovação do Trulicity na União Europeia representa mais um marco significativo no programa global de diabetes da Lilly», comentou Jeremy Morgan, vice-presidente da unidade de diabetes da farmacêutica. A empresa frisou que o Trulicity de 1,5 mg, de toma semanal, é recomendado para os pacientes que usam outros tratamentos para a diabetes, enquanto que a dose de 0,75 mg, de toma semanal, é indicada para pacientes que tomam o Trulicity como monoterapia.

A aprovação, que aconteceu na sequência de um parecer favorável emitido pelo Comité dos Medicamentos para Uso Humano (CHMP) da Agência Europeia do Medicamento (EMA), em setembro, foi sustentada em resultados de seis ensaios de fase III. A Eli Lilly indicou que, nos primeiros cinco ensaios, o Trulicity de 1,5 mg foi superior a placebo e a quatro medicamentos normalmente usados para tratar a diabetes 2, na redução dos níveis médios de HbA1c, enquanto que a dose de 0,75 mg levou a reduções similares de HbA1c, num dos ensaios, e foi superior nos restantes quatro. No sexto ensaio, o Trulicity de 1,5 mg mostrou reduções similares de HbA1c às que são geradas pela dose mais elevada aprovada de um agonista do recetor do GLP-1 geralmente utilizado.

O Trulicity foi autorizado pela Food and Drug Administration no início deste ano.

Envie este conteúdo a outra pessoa