Covid-19: OMS pede a países ricos para não vacinarem jovens e doarem vacinas ao Covax 134

A Organização Mundial da Saúde (OMS) apelou aos países ricos que estão a vacinar jovens contra a covid-19 para cederem estas vacinas ao mecanismo Covax, permitindo imunizar os grupos de risco em países menos desenvolvidos.

“Em alguns países ricos, que compraram a maioria das vacinas disponíveis, os grupos de menor risco estão a ser vacinados. Eu entendo que esses países querem vacinar as suas crianças e os seus adolescentes, porém, encorajo estes países a reconsiderarem esta decisão e a doarem as suas vacinas ao Covax”, pediu Tedros Ghebreyesus, diretor-geral da OMS, em conferência de imprensa virtual.

Este pedido surge após os Estados Unidos, a Alemanha, França e Canadá terem anunciado que pretendiam vacinar as crianças entre os 12 e os 15 anos.

Tedros Ghebreyesus alertou para o facto de que muitos profissionais de saúde que estão a combater a pandemia em vários países ainda não estão imunizados, o que é um “reflexo triste da grande distorção no acesso às vacinas” a nível global.

“Em janeiro falei sobre uma potencial catástrofe moral e, infelizmente, é o que está a acontecer agora” com a distribuição a “conta gotas” das vacinas, indicou o diretor-geral da OMS, ao garantir que apenas 0,3% desses fármacos foram destinados aos países de mais baixo rendimento.

Países como a Índia, Nepal, o Sri Lanka, o Vietname, o Camboja, a Tailândia e o Egito estão a registar um aumento do número de casos e hospitalizações por covid-19, a que se juntam algumas regiões do continente americano, que já representaram cerca de 40% do total mundial de mortes por covid-19 na última semana, referiu Tedros Ghebreyesus na sua conferência de imprensa.

Envie este conteúdo a outra pessoa