Covid-19: Laboratórios não solicitaram doses de reforço da vacina à EMA 196

De acordo com a Agência Europeia do Medicamento (EMA), os laboratórios não pediram nenhuma autorização para uma dose de reforço das vacinas contra o novo coronavírus.

“Nesta fase, ainda não foi determinado se e quando será necessária uma dose de reforço para as vacinas contra a covid-19”, explica a EMA, em declarações à Agência Lusa.

Sobre a possibilidade de alguns países europeus avançarem para uma terceira dose da vacina contra o SARS-CoV-2, o regulador europeu remete a decisão para os órgãos que orientam o processo de vacinação em cada país.

Na eventualidade de existir a necessidade de ser necessária uma dose de reforço da vacina, a EMA garante que está a trabalhar com o Centro Europeu de Prevenção de Doenças (ECDC) e com grupos de técnicos especialistas em imunização.

De momento, ainda estão a ser analisados os dados recentes sobre a vacinação. Posteriormente, o regulador europeu dos medicamentos admite fazer recomendações aos países da União Europeia (UE) sobre os planos de vacinação em curso.

Esperam-se, nas próximas semanas, novos dados dos laboratórios sobre as vacinas contra a covid-19.

Entre os dados apresentados, estão fatores como a propagação do novo coronavírus, incluindo as variantes, o número de doses das vacinas e a capacidade do sistema de saúde de cada país.

De acordo com a EMA, existe uma coordenação e comunicação constantes com os laboratórios, no caso de existir a possibilidade de avançar rapidamente para uma terceira dose da vacina.

Em Portugal, na passada sexta-feira, a ministra de Estado e da Presidência, Mariana Viera da Silva, remeteu a decisão sobre uma eventual terceira dose da vacina para a Direção-Geral da Saúde.

Envie este conteúdo a outra pessoa