AR aprova recomendações para massificar testagem e acelerar vacinação 115

A Assembleia da República (AR) aprovou dois projetos de resolução, um do BE que recomenda ao Governo a massificação da testagem para controlar a pandemia, e um do PCP, sobre a aceleração do processo de vacinação.

O diploma do Bloco de Esquerda foi aprovado com os votos favoráveis de PSD, BE, PCP, PAN, PEV e da deputada não inscrita Cristina Rodrigues, e abstenção de PS, CDS-PP, do Chega e da IL.

O projeto de resolução pretende o alargamento da “estratégia de testagem para SARS-CoV-2”, através da testagem de “todos os contactos de casos suspeitos ou confirmados” e da testagem regular em escolas, na indústria, construção civil, agricultura, entre outros, “onde o número de trabalhadores, a sua aglomeração ou contacto o justifiquem”.

Para isso, o BE pretende criar “pontos de colheita e análise em centros de saúde e outros locais”, que sejam assegurados pelo Serviço Nacional de Saúde (SNS).

A testagem massiva de toda a população de uma determinada freguesia ou concelho onde se registe um surto ou um aumento “rápido de novos” contágios também é recomendada.

O diploma do PCP, que recomenda métodos para acelerar a campanha de vacinação em Portugal, foi aprovado com os votos contra de PS, abstenção de CDS, PAN, Chega e Iniciativa Liberal, e os votos favoráveis das restantes bancadas e deputadas não inscritas.

O projeto de resolução propõe a “diversificação da compra de vacinas, junto de países e/ou de empresa farmacêuticas” que desenvolveram estes fármacos contra a covid-19 e que sejam “reconhecidas pela Organização Mundial da Saúde (OMS)”.

Recomenda “o aumento da capacidade dos centros de vacinação”, através do aumento do número destas instalações e da contratação de mais profissionais de saúde.

Sugere também levar a campanha de vacinação ao domicílio de cidadãos que por causa “do seu estado de saúde não têm possibilidade de se deslocar aos centros de vacinação”.

Envie este conteúdo a outra pessoa