APIFARMA consagra “Heróis da Vacinação” 0 359

A APIFARMA associa-se à campanha da Organização Mundial de Saúde que reconhece todas as pessoas que contribuem para a proteção de milhares de vidas através da vacinação.

De 24 a 30 de abril, a Associação Portuguesa da Indústria Farmacêutica celebra a Semana Europeia da Vacinação, uma iniciativa da Organização Mundial de Saúde (OMS) que tem como objetivo aumentar a notoriedade das vacinas e fazer um reforço à população sobre a importância e os benefícios da vacinação, é informado num comunicado redigido pela Associação.

Sob o mote “Prevenir, Proteger, Vacinar”, a campanha vai homenagear os que contribuem para proteger vidas através da vacinação: investigadores que desenvolvem vacinas eficazes e seguras, autoridades que contribuem para um acesso uniforme à vacinação, os profissionais de saúde que administram as vacinas, os pais que tomam a opção de vacinar os seus filhos, e todos aqueles que partilham informações baseadas nos factos científicos sobre vacinas.

A OMS encara as vacinas «uma das maiores histórias de sucesso da medicina moderna», ao evitarem entre 2 a 3 milhões de mortes por ano, o que representa importantes ganhos em termos de saúde pública, lembra o comunicado. Os programas de vacinação em grande escala, como é o caso do Programa Nacional de Vacinação (PNV) em Portugal, são um dos investimentos mais custo-efetivos na área da Saúde Pública e poupam vidas.

A entidade reforça que os programas de vacinação representam em média menos de 0,5% do orçamento anual para a Saúde e permitem atenuar a pressão no Sistema e no orçamento da Saúde pela prevenção, permitindo assim a alocação de recursos por exemplo para a investigação médica.

Em 2018 o sarampo causou a morte de 72 pessoas na Europa, com um número de infetados maior da década. Dados da OMS apontam que cerca de 82.000 pessoas contraíram esta doença infeciosa em 47 dos 53 países da região, surto diretamente relacionado com o facto de, em 2017, 34 países da geografia europeia terem registado uma cobertura da segunda dose da vacina do sarampo abaixo dos 95%. Este é o nível a partir do qual a OMS considera estar garantida a prevenção da transmissão do sarampo e de outras doenças infeciosas.

Dado o contexto, faz-se notar a ideia de que a prevenção deve ser mantida e reforçada pois a transmissão global e o reaparecimento de doenças habitualmente consideradas como controladas na Europa, não deixa de ser uma preocupação.

Mais detalhes no site.

No início de abril, a APIFARMA associou-se à divulgação do manifesto “Construir uma Europa mais Saudável”.

Envie este conteúdo a outra pessoa