ANF e Médis testam modelo colaborativo na Diabetes 0 240

Desde o dia 1 de julho, que decorre em 14 farmácias de Gondomar, um projeto-piloto de luta contra a diabetes. A campanha “É possível prevenir a diabetes … E viver com ela!” permite que os utentes do município, com idade igual ou superior a 45 anos, tenham acesso gratuito a um rastreio na farmácia que permitirá sinalizar pessoas com maior risco de diabetes tipo 2.

Leia mais sobre esta campanha aqui.

Sobre esta campanha, o NETFARMA esteve à conversa com Francisco Faria, presidente da delegação do norte da Associação Nacional das Farmácias (ANF), que nos adiantou mais sobre este projeto-piloto.

“Este projeto, resultante da parceria entre a ANF e a Médis, como outros que surgiram ou podem surgir, serve para testar diferentes modelos colaborativos de relação com o utente e com o médico assistente, numa lógica de intervenção integrada junto do utente. As ferramentas tecnológicas e de comunicação interprofissional também são desafiadas a acompanhar as farmácias no processo. É importante perceber a pertinência e eficácia da intervenção, não havendo um prazo para alargamento”, avançou.

Sobre o alargamento da campanha a outras farmácias, o presidente da delegação do norte da ANF, foi claro: “Esse alargamento dependerá, obviamente, da avaliação dos resultados do piloto. (…) Será determinado pela realização dos questionários, determinações e consultas e, naturalmente, pelo impacto que possa ter nos utentes, pelo diagnóstico precoce de casos de Diabetes e, também, pela adoção de modos de vida mais saudáveis.”.

A escolha recaiu sobre 14 farmácias da zona de Gondomar. Francisco Faria apresenta uma explicação: “Estas farmácias, como muitas outras, são representativas da rede, da sua capilaridade e proximidade à população, sempre com garantia de profissionalismo, modernidade e inovação. No caminho descentralizador escolhido pelas farmácias, foi natural implementar este projecto em Gondomar”.

O NETFARMA quis saber se está prevista, caso os resultados determinem a continuação do projeto, a remuneração deste serviço às farmácias. “A forma de financiamento futuro terá de ser pensada, definindo critérios de remuneração do serviço, e implementada de forma a garantir o acesso com qualidade aos utentes que o desejem”, explicou o presidente da delegação do norte da ANF a este respeito.

“Os resultados do projeto definirão o seu futuro. Sendo a Diabetes a doença não transmissível mais comum em todo o mundo, com incidência crescente, esperamos que a intervenção diferenciada das farmácias contribua para a melhoria da saúde dos utentes, reduzindo a mortalidade e morbilidade nos cidadãos atingidos pela doença. O alargamento a toda a rede poderá permitir que todos os cidadãos possam aceder a este serviço com ganhos directos no seu bem estar.”, sublinhou Francisco Faria.

Esta é uma campanha de carater social, com previsão para apenas seis semanas.

Envie este conteúdo a outra pessoa