AFP quer vacinação da gripe gratuita nas farmácias para os grupos de risco 274

A Associação de Farmácias de Portugal (AFP) enviou uma carta ao Secretário de Estado da Saúde, António Sales, e à Autoridade Nacional do Medicamento e Produtos de Saúde, I.P. (Infarmed), a indicar que o serviço de vacinação da gripe para grupos de risco devia estar disponível, de forma gratuita, em todas as farmácias comunitárias do País.

De momento, o serviço gratuito de vacinação da gripe nas farmácias decorre apenas no Concelho de Loures, no âmbito de um projeto-piloto protocolado em 2018 pela ARSLVT, pela Associação de Farmácias de Portugal, pela Associação Nacional de Farmácias e pela Associação dos Distribuidores Farmacêuticos (ADIFA).

De acordo com um comunicado divulgado, Manuela Pacheco, presidente da AFP, indica que “com este projeto-piloto a cobertura vacinal dos idosos contra a gripe aumentou 31,8% no território abrangido, o que demonstra, de forma inequívoca, que as respostas de proximidade fazem a diferença no acesso aos cuidados de saúde, traduzindo-se em ganhos ao nível da Saúde Pública”.

Tendo em conta esta situação, Manuela Pacheco acredita que ao ter o serviço de vacinação da gripe para grupos de risco disponível em todas as farmácias comunitárias do País, “torna mais igualitário o acesso aos cuidados de saúde a todos os cidadãos e em todo o território nacional, contribuindo, simultaneamente, para o descongestionamento dos serviços de saúde primários”.

Para além disso, esta medida ganha importância redobrada no contexto de pandemia que vivemos, pois “possibilita que a população sénior não tenha de se deslocar aos hospitais ou centros de saúde para receber a vacina”, explica Manuela Pacheco.

“A possibilidade de os utentes abrangidos por esta medida poderem fazer o agendamento na sua farmácia habitual para o horário que lhes é mais conveniente, torna o processo mais simples e mais cómodo para a população, o que resulta numa maior adesão à vacinação”, explica a presidente da AFP na nota divulgada.

Lembrar que durante a pandemia de covid-19, as farmácias comunitárias portuguesas disponibilizaram um conjunto de serviços excecionais, colaborando ativamente para o descongestionamento do Serviço Nacional de Saúde.

“Com esta proposta, de alargar o projeto-piloto implementado no Concelho de Loures a todo o país, as farmácias comunitárias reafirmam o seu papel de proximidade junto da população e, ao mesmo tempo, sublinham a vontade de trabalhar em parceria com o SNS para assegurar a prestação de cuidados de saúde dos cidadãos”, termina a AFP em comunicado.

Envie este conteúdo a outra pessoa