Açores implementam «até final de março» sistema informático para gerir listas de espera 0 126

Açores implementam «até final de março» sistema informático para gerir listas de espera

27-Jan-2014

O secretário Regional da Saúde disse na sexta-feira que os Açores implementam «até final de março» o sistema informático nacional de gestão de listas de espera, que permitirá «de forma mais fidedigna» fazer comparações e conhecer a realidade.

«O que estamos a trabalhar nesse momento é na adaptação a nível regional daquilo que é o programa de gestão de listas de espera utilizado a nível nacional. Já temos um funcionário do Serviço Regional de Saúde a fazer formação nessa área», afirmou à “Lusa” Luís Cabral, acrescentando que espera «até final de março ter já implementado na região esse sistema».

O presidente do PSD/Açores propôs, na quinta-feira, a criação de um registo integrado de listas de espera para cirurgia na região para uma otimização de recursos, alertando que no final do ano haverá dez mil açorianos a aguardar uma operação.

O governante açoriano com a pasta da Saúde agradeceu a proposta social-democrata, mas lembrou que tal iniciativa já havia sido anunciada pelo executivo regional na semana passada, no sentido de proceder a uma «maior sistematização, controlo e rigor na informação dessas listas de espera».

«Os números que nós temos em cima da mesa são inferiores. Temos noção muito clara da forma como devemos contabilizar as listas de espera. O deputado Duarte Freitas e as contas que faz são com base no número de todo os doentes a partir do dia um que entra na lista de espera. Existem tempos minimamente aceitáveis para cirurgias e esses tempos devem ser considerados», sustentou.

Luís Cabral explicou que o número de doentes em lista de espera para cirurgias nos três hospitais da região, que são publicados «regularmente» no portal do Governo Regional na internet, referem-se apenas a doentes que aguardam há 18 meses, um critério que admite possa vir a ser revisto, diminuindo para seis ou três meses.

O governante precisou que os números oficiais de doentes em lista de espera, nos hospitais de Ponta Delgada, Angra do Heroísmo e Horta, rondam os seis mil e que a tutela tem trabalhado «de várias formas» para baixar esses números.

Segundo disse, a aplicação do sistema informático de gestão das listas de espera permitirá aos próprios doentes consultarem e saberem qual o seu lugar na lista. Também o PS, através do deputado no parlamento dos Açores Domingos Cunha, disse nesse mesmo dia que a proposta do PSD para as listas de espera «defende aquilo que tem sido a posição e as medidas» que o Governo Regional tem vindo a apresentar.

Domingos Cunha acrescentou, em declarações aos jornalistas em Ponta Delgada, que o PS se congratula com o aumento de 20% das consultas de especialidades cirúrgicas na região entre 2009 e 2012 que, «logicamente», aumentam o número de pessoas que precisam de uma intervenção.

 

Governo dos Açores pretende contratar mais enfermeiros em 2014

 

O secretário Regional da Saúde dos Açores garantiu que em 2014 a região voltará a contratar enfermeiros formados no arquipélago, considerando, porém, ser um reconhecimento da qualidade formativa o recrutamento de profissionais para trabalhar no estrangeiro.

«Foram abertas cerca de 25 vagas em enfermagem nas diferentes unidades de saúde. Obviamente não cobre tudo aquilo que são as necessidades de colocação dos enfermeiros que saem das escolas, mas durante 2014 iremos novamente contratar mais enfermeiros», afirmou à “Lusa” Luís Cabral, que participou na sessão de comemoração dos 55 anos da Escola Superior de Enfermagem de Ponta Delgada.

Na quinta-feira a diretora da Escola Superior de Enfermagem de Ponta Delgada, Leonor Melo, afirmou à “Lusa” que a instituição está a formar mão-de-obra qualificada «para o mundo» e que tem sido contatada por instituições inglesas que pretendem recrutar recém licenciados. «Isto é o reconhecimento de que a escola presta um bom serviço.

É uma boa escola de enfermagem e que forma profissionais de qualidade», referiu o governante açoriano, reafirmando que estes profissionais devem ser cada vez mais «pilares de acessibilidade aos cuidados de saúde primários».

Desde 2004 que a Escola Superior de Enfermagem de Ponta Delgada, com um total de 225 alunos e 19 docentes, está integrada na Universidade dos Açores. Segundo disse Leonor Melo, trabalham nos Açores, atualmente, mil enfermeiros, dos quais cerca de 450 profissionais estão afetos ao hospital de Ponta Delgada e cerca de 300 à Unidade de Saúde de S. Miguel, na maior e mais populosa ilha do arquipélago.

Além da escola de Ponta Delgada, a licenciatura em enfermagem também é ministrada, nos Açores, na Escola Superior de Enfermagem de Angra do Heroísmo.

Para o secretário regional da Saúde, «faz sentido» a existência dos dois estabelecimentos de ensino nessa área nos Açores, uma vez que «do ponto de vista histórico permitiu suplantar uma das carências enormes que existia no Serviço Regional de Saúde».

Se assim não fosse, seria necessário estar «a falar também», à semelhança dos médicos, «de incentivos para a fixação» de enfermeiros nas ilhas, acrescentou.

Envie este conteúdo a outra pessoa