A solução está sempre na inovação 1278

Inovação, essa expressão que ouvimos há décadas e perdura! Será mesmo a inovação a solução para todos os males?

O mais recente estudo sobre inovação no âmbito do Produto do Ano, em colaboração com a Netsonda junto de cerca de 6.000 consumidores, é bastante esclarecedor: os portugueses adoram inovação:

  • 89% gosta de experimentar novos produtos;
  • 81% pagaria mais por um produto novo que o satisfaça;
  • 63% pagaria mais por um produto que é mais inovador do que aquele que geralmente compra.

Mais, os portugueses reconhecem a importância da inovação. Para 83% dos portugueses, não há outra forma de sobrevivência das empresas que não passe pela inovação.

É evidente a importância da inovação no desenvolvimento económico e como “seguro” do futuro das empresas. Vivemos numa época de competitividade extasiante, os consumidores são cada vez mais camaleónicos, a tecnologia traz novas soluções diariamente, as tendências são muitas.

É neste contexto que importa assumir uma cultura de inovação como solução para a diferenciação e logo para o sucesso. Independentemente do negócio, manter um processo constante de inovação é essencial para a sobrevivência de qualquer negócio.

E a inovação não tem necessariamente ser associada à tecnologia ou a novos produtos e serviços. Inovar pode passar igualmente pela forma de reorganização, pelo processo de produção, distribuição e até comunicação. A inovação pode se incremental, radical, arquitectural, pós-atual… A inovação para o sucesso, não é mais que a capacidade de sairmos da nossa zona de conforto e procurar os meios para tornarmos o “negócio” mais competitivo e rentável ou a nossa vida melhor. Importante é que a inovação seja reconhecida pelos consumidores.

É aqui que entra o Produto do Ano. O facto de que, ao longo do ano mais de 6.000 consumidores testarem e avaliarem produtos e serviços aufere um conhecimento ímpar sobre os mesmos. Porque são avaliações neutras e independentes, de consumidores que efetivamente testaram os produtos. São informações essenciais para as empresas proprietárias das marcas, não só para o desenvolvimento de estratégias de marketing e comunicação, mas, também, para o desenvolvimento de novos produtos (ou de aprimoramento dos atuais). E a prova é que os dados mostram que 79% dos Produto do Ano dos últimos cinco anos ainda se mantém nos lineares.

Mas como tudo funciona? Como são selecionados os Produto do Ano?

Os consumidores selecionados e representativos da população portuguesa avaliam os produtos e serviços em diversas categorias. Desde a inovação percebida, à atratividade, a intenção de compra até ao teste em si. O objetivo é ter o máximo de dados recolhidos. O produto com a nota ponderada mais elevada (na sua categoria) é eleito como o Produto do Ano. Na prática funciona como uma espécie de selo que certifica a opinião dos consumidores. Um “selo” que as marcas vencedoras podem (e devem) usar não só na comunicação, mas também no próprio produto – diga-se nos rótulos, como forma de se diferenciarem da concorrência.

A Saúde e Bem-Estar é uma das categorias analisadas e que mais impacto traz na vida das pessoas. E onde produtos aparentemente tão simples como um combate às mordidas de insetos pode fazer a diferença.

Este ano, por exemplo, foram selecionados seis produtos na vertente da Saúde e Bem-Estar: Preservativos, Saúde Ocular, Higiene Feminina, Produtos para Alívio de Mordeduras e Picadas de Insetos, Muda da Fralda, e Higiene de Bebé.

Na decisão da escolha e da inovação estiveram, por exemplo, no caso das Waterwipes Bio o facto de serem 100% biodegradáveis, enquanto as Bug Bite Thing destacaram-se por não necessitarem de qualquer produto químico ou pomadas.

Já na Gama de Higiene de Bebé Baby Wells, e tendo em conta o consumidor a quem se destinam – os bebés – foi determinante o facto de todos os produtos serem aprovados por dermatologistas e a gama ser vegan, com fórmulas que contêm mais de 90% de ingredientes naturais e a embalagem ser totalmente reciclável.

Numa vertente mais relacionada com a saúde a Saugella Youfresh (cosmético) foi reconhecida por ser o primeiro produto na Higiene Íntima Diária desenvolvido para a pensar nas necessidades específicas das adolescentes e jovens mulheres, com extratos de origem vegetal e pH adequado.

Na saúde ocular, o produto Systane COMPLETE (*) alivia os sintomas de todos os tipos de olho seco. Para tal desenvolveu uma fórmula que incluí nanopartículas lipídicas que atuam sobre o filme lacrimal. Restaurando-o, atuando na camada aquosa do filme lacrimal para hidratar e lubrificar a superfície ocular, ou seja, é uma lágrima artificial que consegue um alívio até 8 horas.

A espessura dos Preservativos Durex Invisible foi considerada como inovadora, com apenas 48 micras de espessura, são cerca de 30% mais finos que a maioria dos preservativos do mercado. A avaliação dos consumidores diz que isso maximiza a sensibilidade de ambos durante a relação sexual. Uma “afirmação” que, agora, a marca pode usar como forma de se diferenciar da concorrência.

E são todos os pontos considerados como inovadores pelos consumidores que fazem a diferença. Não só na atribuição do reconhecimento, mas, também, na comunicação e no linear.

Tem um Produto Inovador? De que está à espera para ser o Produto do Ano 2023?

Inscreva-o em www.produtodoano-pt.com.

 

(*) Dispositivo(s) Médico(s). Leia cuidadosamente a rotulagem e as instruções de utilização para informação sobre indicações e segurança. ©2022 Alcon Inc. Revisto em 04/2022. Alcon Portugal. NIPC 501 251 685. PT-SYC-2200021

 

 

WordPress Ads

Envie este conteúdo a outra pessoa