A prevenção na linha da frente 0 187

Um dos problemas atuais que continua na ordem do dia é a Doença Cardiovascular (DCV), que apesar dos esforços contínuos, continua a ser a principal causa de morte em Portugal, correspondendo a uma taxa de 29,7%. Devido à proximidade do farmacêutico à comunidade, este tem um papel fundamental na atuação precoce neste tipo de doenças.

Quantas vezes nos entra na farmácia um utente a pedir para medir a pressão arterial? Ou outro parâmetro bioquímico como a glicémia, colesterol, triglicéridos e ácido úrico? Quer seja por quererem fazer um check-up ou por não se sentirem bem no momento ou simplesmente por quererem controlar os parâmetros?

Devemos ver estes momentos como uma oportunidade de intervenção quer na prevenção e diagnóstico, quer no controlo de cada patologia de forma individual, mas também permite-nos ter uma visão integrada e complexa do utente no que respeita a riscos inerentes a outras patologias.

Se já conhecemos os fatores de risco para a DCV, então porque não ir mais além e fazer uma abordagem mais abrangente para os nossos utentes? Ou seja, fazer uma avaliação do seu risco cardiovascular com base na avaliação individual de vários fatores como idade, género, patologias, antecedentes familiares de DCV, estilos de vida, assim como a medição do IMC, pressão arterial, colesterol e triglicéridos, quantificando desta forma os riscos associados, utilizando por exemplo tabelas SCORE (Systematic Coronary Risk Evaluation).

Conseguimos assim tornar útil a aplicabilidade destes riscos calculados, uma vez que os nossos aconselhamentos irão de acordo com os mesmos, adequando sempre cada situação ao utente que temos perante nós.

É nos utentes com riscos cardiovasculares moderados e elevados que devemos atuar na prevenção das DCV. Cabe-nos a nós promover a adesão à terapêutica assim como hábitos de vida saudáveis, e sempre que aconselhado, reencaminhar para outros profissionais de saúde como por exemplo nutricionistas ou até mesmo reencaminhar para o médico.

Porque os utentes são a nossa prioridade, e o nosso trabalho é promover mais saúde e qualidade de vida para todos, atuando sempre de forma personalizada, porque cada caso é um caso…

Diana Simões,
Farmacêutica na Farmácia Holon Campo Grande

Envie este conteúdo a outra pessoa